quarta-feira, 20 de maio de 2015

Oppa estreia rodada de conversa com artista de Street Art e grafiteiro

Com intuito de democratizar a arte e a cultura no País, a Oppa - marca de móveis e acessórios de design -, inicia o projeto ‘Bate-papo Oppa’ que leva convidados, como blogueiros, especialistas em moda, artistas e designers para um bate-papo com assuntos relacionados a marca que vai acontecer em diversos lugares. O primeiro encontro será realizado no dia 20 de maio, em um evento só para convidados, na galeria King Cap, em São Paulo.

Para estrear o projeto, a Oppa e a King Cap escolheram homenagear o talento do artista de Street Art e grafiteiro Rodrigo Branco. Além do bate-papo, o público presente também vai poder ver em primeira mão a exposição intitulada “Antigo 8, atual 61”, que retrata a infância do artista no bairro do Grajaú, Zona Sul de São Paulo. “O artista surpreenderá os convidados com uma vitrine especial produzida exclusivamente para o evento. A ideia é trazer um pouco da arte do Branco para perto do nosso púbico”, explica Allan Gonçalves, Brand Manager da Oppa.
 
Toda a ambientação da King Cap será feita com os móveis e acessórios da Oppa. É nessa atmosfera cool que a marca vai receber seus convidados, a noite começa a partir das 20h com coquetel, brindes especiais da Cícero e cervejas artesanais da Cervejaria Madalena.
 
Rodrigo Branco
Nascido no Grajaú o paulistano Rodrigo Branco teve seu primeiro encontro com a arte dentro da família. Já na adolescência descobriu no bairro o universo cultural do grafite. Por influência do pai, Branco despertou seu olhar fotográfico o que acabou sendo determinante para sua forma de ver o mundo e de retratar as várias faces no seu trabalho. O artista realizou diversos trabalhos dentro e fora do País, como: festivais de arte ARTRua (Rio de Janeiro), II Bienal Internacional de Muralismo em Cali, na Colômbia, na Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra, entre outros. Alguns clientes atendidos Rafael Mantesso e Criolo e marcas como Redbull, Absolut e Cícero.


Fonte: Assessoria de Imprensa da Oppa - Visar Planejamento

terça-feira, 19 de maio de 2015

Baixo Ribeiro ministra curso “Arte & Cidade” no Instituto Choque Cultural


Com aulas presenciais às quartas-feiras, de 20 de maio a 24 de junho, Baixo Ribeiro trará temas atuais que giram em torno da arte urbana 
São Paulo, abril de 2015 – Nas quartas-feiras do período de 20 de maio a 24 de junho, o Instituto Choque Cultural promoverá o curso “Arte & Cidade” com aulas ministradas por Baixo Ribeiro - curador, professor, estudou arquitetura na FAU-USP e é fundador do Instituto Choque Cultural, que promove a pesquisa e desenvolvimento de novas metodologias educativas através da experiência artística.
O curso acontecerá em seis aulas, das 19h30 às 22h na sede do Instituto, no Prédio Farol, no Centro de São Paulo.  Baixo Ribeiro apresentará sua visão sobre a transformação das cidades através da arte e, a partir da contextualização histórica da arte urbana, traçará alguns caminhos de desenvolvimento da arte que interage com espaços públicos e de uso comum. 
Além da discussão e análises de casos, o curso oferece passeios guiados pelo professor e curador, e mesas de debates com arquitetos, artistas e estudiosos. Esses eventos paralelos ao curso são abertos ao público e com datas a serem confirmadas. 

As inscrições podem ser feitas até  através do e-mail marcia@choquecultural.com.br e o valor para participar é de R$400 via depósito ou transferência bancária. Mais informações em www.institutochoquecultural.org.br/agenda-1 

MASP começa a ser revitalizado pela Suvinil



As colunas serão pintadas com a cor Vermelho MASP, desenvolvida exclusivamente pela Suvinil para o museu na década de 1990
A limpeza das fachadas será feita com água de reuso, para evitar o desperdício

Nos anos 90, a Suvinil criou a cor Vermelho MASP para pintar as colunas que sustentam o maior museu da América Latina. Era a primeira vez que o prédio recebia esse tom, hoje um de seus traços mais característicos. Com mais de 760 litros de produtos e a contratação de fornecedores especializados, o MASP e a Suvinil retomam a antiga parceria com uma nova revitalização do museu, que tem início esta semana e deve ser concluída até o fim de julho.

Cerca de 35 profissionais de cinco fornecedores contratados pela Suvinil irão trabalhar para a revitalização do MASP. A primeira etapa é a instalação das 38 toneladas de andaime. Ao redor das colunas, serão colocadas telas de proteção com fotos históricas dos anos 1960, que pertencem ao arquivo da Biblioteca e Centro de Documentação do MASP. Ela retrata trabalhadores em andaimes, colocando os vidros que compõem a fachada, durante a construção do prédio.
.
A tinta da fachada será removida por jatos de água de reuso, para evitar o desperdício. O processo de pintura, que levará o exclusivo Vermelho MASP para as colunas, contará com a tecnologia do Esmalte Seca Rápido Brilhante. Específico para aplicação exterior e interior, o esmalte apresenta excelente aderência e seca em 30 minutos (ao toque).

“Como líder do segmento premium brasileiro, a Suvinil, marca de tintas imobiliárias da BASF, tem orgulho em manter essa parceria tão sólida com o maior museu da América Latina. Estamos muito felizes por deixar esse cartão postal da cidade de São Paulo ainda mais bonito”, afirma Andreas Gietl, vice-presidente de Tintas Imobiliárias da BASF para América do Sul.

A participação da Suvinil em projetos de revitalização de patrimônios históricos começou na década de 80, quando assumiu a pintura do estádio do Pacaembu, na capital paulista, a pedido do então prefeito Jânio Quadros. Desde então, a marca vem participando de vários projetos, entre eles a pintura do estádio do Maracanã, onde foram utilizados 100 mil litros de tinta na pintura de algumas de suas áreas, a restauração do Mercado Adolpho Lisboa, de Manaus, e de oito casarões antigos em seu entorno, da revitalização do Parque Nacional dos Guararapes, na Grande Recife, e do Pátio do Colégio, em São Paulo, e a restauração da Fundação Pão de Pobres, em Porto Alegre.


Fonte: Grupo Máquina - www.grupomaquina.com 

Projeto colaborativo de arte brasileiro é finalista em concurso na Dinamarca


Batizado de "Nós Art Project", a instalação concorreu com 171 projetos em todo o mundo; busca agora é por recursos para a viagem a Europa

Uma rede feita a partir de cordas e nós atados pela mãos de diferentes pessoas (adultos, jovens, crianças), que é fixada a um marco arquitetônico de valor histórico e ao solo, formando uma grande malha na qual as pessoas poderão subir, deitar, brincar, descansar e, especialmente, apropriar-se da maneira que mais lhes interessar. Este é o projeto pensado por três estudantes brasileiras que ganhou uma vaga no Land-Shape Festival, evento realizado em Hanstholm, região ao norte na Dinamarca, em junho deste ano. A obra ficou entre as 12 finalistas de 171 inscritos de todo o mundo, e em breve, o trio formado pelas jovens Maria Beatrice Trujillo, Beatriz Alcântara e Paula Bedin (duas estudantes de arquitetura e uma de design) se prepara para desembarcar na Europa e expôr o projeto de Land-Art (instalação artística realizada no meio ambiente). 

"A região do festival tradicionalmente trabalha com a pesca. Isso é um ponto de congruência com a nossa própria cultura, o litoral do Brasil é enorme, as imagens de barcos, praias e tudo o que permeia essa atividade está presente no nosso imaginário. Esse foi um dos motivos pelo qual a gente escolheu trabalhar com redes", explica Maria Beatrice. O universo da pescaria inclui uma série de atividades muito além da pesca em si: navegação, produção de materiais, a dinâmica dos pescadores e a relação de toda a comunidade. Isso tudo envolve uma transmissão de conhecimento muito forte."


Como tratar questões de identidade cultural? Qual o valor do patrimônio de uma comunidade? Como traçar novas narrativas a partir de um espaço que já é familiar? Estas são as questões que a instalação pretende abordar no Festival. "Nossa ideia é, através da produção colaborativa desta trama de nós, promover um encontro de diferentes histórias, permeadas por múltiplas experiências de vida, referências culturais e expectativas, amarradas nesta oportunidade de troca", justifica a artista. Para mergulhar ainda mais nesse universo, Paula, Maria e Beatriz fizeram uma viagem para Picinguaba, no litoral de São Paulo, e visitaram uma vila de pescadores. "A gente aprendeu bastante sobre as técnicas que envolvem as atividades da pesca. Pretendemos fazer o mesmo na Dinamarca e aprender com a comunidade de lá. Essa troca é muito interessante", continua Maria Beatrice.


Conheça mais sobre o Nós Art Project na página no Facebook:

terça-feira, 12 de maio de 2015




Os materiais provenientes da natureza sempre estiveram presentes na decoração: madeira, algodão, mármore, seda… Porém alguns deles são mais nobres e mais interessantes do que outros, como é o caso dos cristais. Por ser o resultado de um processo geológico que pode levar milhares de anos, essa matéria-prima é considerada rara, dando origem a peças extremamente sofisticadas e únicas. É essa sensação de exclusividade que transforma os itens fabricados em cristal de rocha em verdadeiros objetos de desejo. A tendência de valorizar as texturas naturais não passou batido aqui na GP Life Decor – acabamos de trazer para nosso acervo de produtos uma série de abajures com base em cristal de rocha e cúpulas de formatos variados. Com desenho limpo e ao mesmo tempo elegante, as peças são o arremate perfeito para projetos de livings amplos, dormitórios acolhedores e escritórios que vão além da funcionalidade. Bem, qualquer ambiente da casa fica mais chique com a presença delas. Quando acesos os abajures criam um lindo efeito da luz incidindo delicadamente sobre a pedra de tom neutro. Além do próprio cristal de rocha, o design das luminárias engloba outro material que está em alta no universo do décor: o latão. Seu tom metalizado casa perfeitamente com a volta dos acabamentos em dourado e cobre. Atemporais, os produtos dessa coleção são uma escolha certeira para projetos que nunca ficarão datados e que priorizam a sofisticação.

Fonte: GP Life Decor

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Tidelli apresenta a sua nova coleção 2015

É o próprio lifestyle da Tidelli que inspira sua coleção de mobiliário externo 2015. Com design contemporâneo, as novas peças são confortáveis, artesanais, marcadas pela identidade dos elementos e pela racionalidade na estruturação dos produtos. A Tidelli cria móveis externos e para ambientes de lazer internos, perfeitos para quem tem um estilo urbano livre e descontraído e também gosta de viver junto da natureza.

Entre as novidades, a empresa importa tecidos acrílicos inéditos no Brasil e aposta em uma parceria com a designer Bia Martinez, que criou estampas que mesclam listras e texturas coordenadas de forma a harmonizar e sofisticar os sofás e poltronas já conceituados por seu design.

A nova linha Soft surpreende com a valorização do tecido, sem interferência de outros materiais. As poltronas, chaises e puffs da coleção contam com o moderno e exclusivo sistema air-flow, desenvolvido pela marca, que suporta as intempéries sem perder o conforto, elegância e praticidade.

Destaque também para os lançamentos da linha Bora Bora, uma cadeira e um balanço, de traços retos e inspiração modernista.  Esses produtos mantém o charme tradicional da marca, produzidos com assento e encosto tramados em cordas náuticas, aliado à tecnologia da estrutura 100% em alumínio.

Surpreende a nova coleção de estar Moorea em madeira e estofado, que apresenta sofás e poltronas com duas opções de montagem, fechado ou vazado em diversos tamanhos e sob medida, através da simplicidade das linhas do desenho, valoriza a matéria-prima orgânica e o conforto.

A valorização das técnicas artesanais e o uso das cordas náuticas se fazem presente também na linha de biombos em macramê, fruto do resultado da colaboração criativa da paisagista Drica Diogo. Esse processo permite formas inusitadas e um produto extremamente diferenciado. Esta peça – nova no portfólio – permite que, além do uso tradicional, seja possível diversas aplicações arquitetônicas.
São apresentadas também, as mesas de apoio Octa, Club e Bora Bora. A Octa com estrutura leve, tampos octogonais em alumínio, usinados em baixo relevo com trama geométrica, que estão disponíveis em duas alturas e dois diâmetros. A Club com mesa de encaixe retangular em ladrilho, design Tatiana Mandelli. E a Bora Bora oval com opção de tampo em Fórmica TS.

Sempre apostando em novos elementos, a Tidelli mescla a inovação presente em suas constantes pesquisas ao tradicional esforço manual presente na produção de suas peças. Com qualidade, os móveis da empresa trazem mais do que beleza e conforto ao ambiente, englobam também sustentabilidade e um estilo de vida único.

Fonte: Tidelli - Mariana Amaral Comunicação (Júlia Chopis)

Seminário As virtualidades do morar: Artigas e a Metrópole


Data: 2 de junho de 2015.
Local: auditório do MAC USP Ibirapuera. Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3° piso. Parque Ibirapuera.
Inscrições: as inscrições são gratuitas e serão realizadas no dia do evento.

ORGANIZADORES
Prof. Dr. Leandro Medrano – FAUUSP
Prof. Dr. Luiz Recaman – FAUUSP
No ano de comemoração do centenário do arquiteto Vilanova Artigas, este seminário propõe apresentar e discutir novas perspectivas de análise de sua obra, fruto de pesquisas e publicações recentes. Este evento inaugura as homenagens que deverão ocorrer em 2015 e será objeto de uma publicação comemorativa.

PROGRAMA
Abertura: Prof. Dr. Hugo Segawa – FAUUSP
9h às 12h | Mesa 1: Vilanova Artigas e a arquitetura brasileira
A mesa debaterá a obra e as ideias desse arquiteto à luz do estágio atual de desenvolvimento das cidades brasileiras, especialmente a cidade de São Paulo.

CONVIDADOS
Prof. Dr. Miguel Buzzar – IAUUSP
Profa. Dra. Ruth Zein – FAUMACK
Prof. Dr. Luiz Recaman – FAUUSP
Debatedora: Prof. Dra. Ana Lanna – FAUUSP
14h30 às 17h30 | Mesa 2: O morar e a cidade na obra de Vilanova Artigas
A mesa debaterá as dimensões sociais do espaço do morar como fundamento da organização urbana e social no processo de metropolização de São Paulo.
Prof. Dr. Guilherme Wisnik – FAUUSP
Prof. Dr. João Masao Kamita – PUC-RJ
Prof. Dr. Leandro Medrano – FAUUSP
Debatedora: Profa. Dra. Mônica Junqueira – FAUUSP