quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

SÃO PAULO CALLING (JORNADA DA HABITAÇÃO)

Com extensa programação de janeiro a junho de 2012, o projeto transforma São Paulo no centro do debate sobre assentamentos informais


Promovido pela Secretaria Municipal da Habitação de São Paulo, sob a curadoria do arquiteto italiano Stefano Boeri, São Paulo Calling (Jornada da Habitação) é um projeto que se propõe a debater a partir de São Paulo as políticas públicas desenvolvidas em cidades que enfrentam problemas semelhantes relacionados a assentamentos informais: Bagdá, Medelín, Moscou, Mumbai, Nairóbi e Roma.

Entre janeiro e junho de 2012, pesquisas, discussões e uma grande exposição itinerante irão analisar as características, as diferenças e as causas dos assentamentos informais no mundo e farão de São Paulo a capital mundial do debate sobre a transformação de empreendimentos e o caminho para uma correta ação política e urbanística. Ao mesmo tempo, seis laboratórios nos bairros de São Francisco Global, Cantinho do Céu, Bamburral, Heliópolis, Paraisópolis e no centro, vão realçar as experiências práticas e diretas da vida dos moradores.

As Jornadas

Cada um dos bairros participantes terá, em períodos distintos, visitas de convidados internacionais que farão palestras, debates e também participarão de feiras livres, festas, torneios de futebol, etc, não apenas para aproximar aqueles que falam da cidade e os que nela vivem, mas também porque os três milhões de habitantes que vivem em assentamentos informais são protagonistas ativos das suas transformações e de teorizações. Nessa linha, os moradores de São Francisco Global receberão a visita de técnicos da capital italiana, enquanto os de Paraisópolis trocarão experiências com os convidados de Mumbai e assim por diante, conforme o calendário abaixo:


27 de janeiro, Centro Cultural São Paulo (abertura da mostra com debate)

28 e 29 de Janeiro, São Francisco Global (região leste)/ Roma

03 e 04 de Março, Paraisópolis (região Sul)/ Mumbai

31 de março e 01 de abril, Cantinho do Céu (região dos mananciais)/ Medelín

05 e 06 de maio, Bamburral (região norte)/ Nairóbi

26 e 27 de maio, Heliópolis (região sudeste) / Moscou

30 de junho e 01 Julho, Região Central (cortiços)/ Bagdá


A Exposição

Marca a programação a mostra “Jornada da Habitação (São Paulo Calling)”, a partir do dia 27 de janeiro no Centro Cultural São Paulo (Sala Missão) que depois irá itinerar pelos bairros envolvidos. De conteúdo interativo, a exposição conta com três painéis fixos onde em cada lado serão projetados os conteúdos de uma das cidades participantes (Bagdá, Medelín, Moscou, Mumbai, Nairóbi e Roma). O público interage através de tablets fixados em totens, de modo a permitir que o participante navegue e descubra os aspectos mais interessantes de cada cidade, ao mesmo tempo em que a descoberta é projetada no painel e compartilhada com outros visitantes.

No espaço destinado a São Paulo, haverá mapas, imagens e seis vídeos especiais que contam um pouco a história dos assentamentos e das intervenções na cidade, tudo de modo interativo. Na abertura para convidados, dia 27, um debate entre o curador e o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães aborda o tema Existe informalidade na cidade contemporânea?

Exposição

De 27/01 a 11/02 - Centro Cultural São Paulo

De 14/02 a 28/02 - São Francisco Global

De 03/03 a 28/03 - Paraisópolis

De 31/03 a 02/05 - Cantinho do Céu

De 05/05 a 23/05 - Bamburral.

De 26/05 a 27/06 - Heliópolis

De 30/06 a 31/07 – Região Central


Serviço:

São Paulo Calling (Jornada da Habitação) - Exposição

Abertura: Dia 27 de janeiro, às 18h30 - Até 11 de fevereiro de 2012.

18h45 – Debate Existe informalidade na cidade contemporânea? Elisabete França (mediador), Stefano Boeri e Sergio Magalhães

Centro Cultural São Paulo

Rua Vergueiro, 1000 Tel: 11.3397-4002

De terça a sexta, das 10h às 20h; Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.


Jornada da Habitação no Jardim São Francisco

28 e 29 de janeiro, das 10h às 17h.

Rua Cinira Apolonio s/n. x Trav. Pietro Torri 88/90 (galpão 1, 2 e 3)

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Diferenças entre o verniz e o stain

Ainda são comuns as dúvidas dos usuários quanto às diferenças entre verniz e stain. Na hora de escolher o acabamento para madeira, é bom conhecer bem para ficar com o melhor.

As dicas valem para todos: arquitetos, engenheiros, pintores, construtores e proprietários de imóveis. Quem conhece as vantagens e diferenças entre vernizes e stains de alta qualidade economiza tempo, dinheiro e ganha em beleza e durabilidade. Para começar, os dois produtos têm somente um ponto em comum e, justamente, o mais evidente: servem para acabamento de madeiras. Tanto stains quanto vernizes têm classificação em norma da ABNT. No caso dos stains, é a ABNT 11702. A norma classifica os produtos em duas categorias. Há os stains preservativos de madeira, como o Osmocolor da Montana Química, que têm proteção fungicida comprovada e o devido registro no Ibama. Há também stains apenas para acabamento, sem qualquer proteção contra fungos.


Os conceitos são diferentes, embora voltados a uma mesma finalidade. Verniz é um acabamento de “poro fechado” formador de filme, que cria uma película de proteção espessa e esconde os veios da madeira sob uma camada encorpada do produto. Os stains são impregnantes de madeira que apresentam acabamento de “poro aberto”. Penetram nas suas fibras e as nutrem com agente fungicida, têm baixa formação de filme e acompanham os movimentos naturais da madeira sem formar trincas ou descascar. A ilustração a seguir mostra como a película de verniz tampa os microporos e altera a textura natural da madeira, enquanto o stain acompanha o relevo da superfície do material, mantendo sua textura original.


A maior diferença para o consumidor é na hora da manutenção. Produtos formadores de filme trincam e, dependendo do estágio de degradação em que se encontram, exigem a remoção completa da aplicação antiga, antes de aplicar uma nova. Para a remoção da película de pintura, especialmente em superfícies verticais, o melhor é utilizar removedor gel como o Striptizi, que evita respingos e sujeira. Em grandes superfícies horizontais, caso dos decks, por exemplo, o mais indicado é a linha Deck da Montana, com NovoDeck e ClariDeck. Já os stains proporcionam muita facilidade, pois não necessitam remoção para a reaplicação. O desgaste do acabamento de stains ocorre por erosão, num lento processo de esmaecimento em que a camada vai virando pó. Assim, basta uma limpeza superficial para remover partículas soltas e poeira. A superfície estará pronta para receber uma nova pintura.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Instituto de Arquitetura e Urbanismo busca parcerias com universidades norte-americanas

Coordenador da Pós-Graduação do IAU-USP viaja aos EUA para estabelecer intercâmbios de pesquisadores

A presença norte-americana no Urbanismo do Brasil e o crescente interesse dos centros de pesquisa dos Estados Unidos (EUA) pela produção arquitetônica brasileira poderão resultar na criação de programas de intercâmbio entre pesquisadores do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP (IAU-USP) São Carlos e universidades norte-americanas, como já ocorre com algumas universidades européias. Entre os dias 22 e 27 de janeiro, o professor e coordenador da Pós-Graduação do IAU-USP Renato Anelli fará uma visita oficial a dois renomados centros de pesquisa dos Estados Unidos para estabelecer os primeiros contatos na consolidação desta parceria.
A primeira instituição visitada por Anelli será a University of Texas - Austin Scholl of Architecture, cujas possibilidades de intercâmbio já foram discutidas previamente. Segundo o coordenador da Pós-Graduação do IAU-USP, a universidade abriga o Tereza Lozano Long Institute of Latin American Studies, que possui um programa de pós-graduação interdisciplinar que engloba várias áreas de interesse dos pesquisadores do IAU-USP, como História da Arte e Planejamento Regional. “A universidade também abriga o maior centro para estudos visuais latino-americanos, com o mesmo enfoque de priorização da produção moderna e contemporânea que o programa de São Carlos”, revela Anelli.

Em Nova Iorque, o professor do IAU-USP estará na Columbia University - Graduate School of Architecture, Planning and Preservation. Como será o primeiro contato com este centro de pesquisa, Anelli acredita que será uma visita de caráter exploratório. A expectativa do pesquisador, entretanto, é de que o Latin Lab sediado na universidade seja uma possível plataforma de interação entre a Columbia e países latino-americanos como o Brasil.
De forma geral, a escassez de intercâmbios de pesquisa e pós-graduação entre instituições brasileiras e norte-americanas no escopo da Arquitetura e Urbanismo é a principal motivação da visita de Renato Anelli aos EUA. Um sinal claro do interesse norte-americano pela Arquitetura e Urbanismo nacionais é o grande número de professores brasileiros em universidades dos EUA, assim como as constantes visitas de dirigentes e pesquisadores norte-americanos ao Brasil. “Os interesses são de ambos os lados. A presença norte-americana no nosso urbanismo, em especial a partir da década de 1950, também ofereceu um enorme campo de investigação para os brasileiros”, detalha Anelli.


Palestras

Além de visitas exploratórias e reuniões com professores e diretores de ambos os centros de pesquisa, o pesquisador do IAU-USP também ministrará nas duas universidades a palestra “São Paulo: Metropolitan growth and social integration”, sobre o crescimento de São Paulo no século 20 e a mudança da estrutura urbana da cidade. “O público-alvo serão professores e estudantes de pós-graduação. Pretendo apresentar algumas linhas de pesquisa desenvolvidas no nosso programa de São Carlos, sobretudo sobre a atuação de arquitetos e urbanistas no desenvolvimento urbano de São Paulo ao longo do século 20”, finaliza Renato Anelli.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Prêmio Design de Luminárias Abilux

Estão abertas até o dia 3 de fevereiro as inscrições para a edição 2012 do Prêmio Design de Luminárias promovido pela Abilux (Associação Brasileira da Indústria de Iluminação).

Aberto à participação de empresas do setor de iluminação legalmente constituídas no Brasil, o Prêmio é voltado para luminárias residenciais, comerciais, industriais, públicas e monumentais que estejam sendo comercializadas no mercado entre fevereiro de 2010 e janeiro de 2012, desde que não tenham participado de edições anteriores do Prêmio e que possuam design original (desenvolvido e fabricado em território nacional) e atendam às normas brasileiras e portarias do Inmetro.

O julgamento ocorrerá em duas fases: Pré-Seleção e Julgamento Final.

A pré-seleção terá caráter eliminatório e analisará a documentação apresentada. Os produtos selecionados nessa etapa serão os finalistas. O resultado será comunicado aos participantes, através de e-mail.

Para a segunda fase (Julgamento Final), os finalistas deverão enviar o produto ou protótipo devidamente embalado, com as respectivas lâmpadas, instruções de montagem e desmontagem e em perfeitas condições de funcionamento. Os produtos deverão estar na tensão de 127 V, com fiação de 2 metros e plug para fácil conexão elétrica.

Todos os produtos pré-selecionados concorrerão ainda a um prêmio especial, o de Conservação de Energia.

Premiação:

Aos três primeiros colocados de cada categoria serão atribuídos troféu, certificado e selo, observando-se o seguinte critério: troféu, certificado e selo para o primeiro lugar e certificado e selo para os segundos e terceiros lugares. Ao vencedor do Prêmio Especial “Conservação de Energia” será atribuído troféu, certificado e selo.

Exposição:

Os produtos premiados serão expostos no estande da Abilux durante a realização da 13ª EXPOLUX - Feira Internacional da Indústria da Iluminação, que acontecerá de 24 a 28 de abril de 2012, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).


www.abilux.com.br


quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Comunicado aos Arquitetos Brasileiros

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

CONSELHO DE ARQUITETURA E URBANISMO DO BRASIL - CAU/BR

COMUNICAÇÃO AOS ARQUITETOS BRASILEIROS

Em 31 de dezembro de 2010, após seis anos de tramitação legislativa e diversas audiências públicas realizadas na Câmara dos Deputados e no Senado Federal, o Presidente da República sancionou a Lei nº 12.378/2010, que regulamenta o exercício da Arquitetura e Urbanismo, cria o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil - CAU/BR e os Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal - CAU/UFs.

A Lei 12.378/2010 delegou o gerenciamento do processo de transição e a organização do primeiro processo eleitoral do CAU à Coordenadoria Nacional das Câmaras Especializadas de Arquitetura do Sistema CONFEA/CREAs - CCEArq, com a participação das entidades nacionais de arquitetos: IAB, FNA, AsBEA, ABEA e ABAP. As eleições aconteceram no prazo determinado pela Lei, em 26 de outubro de 2011, com a participação de mais de 56.000 arquitetos e urbanistas - cumprindo com êxito a determinação legal.

Apesar de exitoso o processo eleitoral, a transição para a implantação do CAU nos Estados e no Distrito Federal, que deveria ter acontecido em 2011, ficou prejudicada em função das divergências de entendimentos entre o Sistema CONFEA/CREAs e a Comissão formada pela CCEArq e as Entidades.

Nestes termos, a transição acontecerá a partir de agora, mediante o estabelecimento de acordos com os CREAs, estimando-se que até junho de 2012 esteja concluída.

As parcerias com os CREAs incluirão a assinatura de convênios com os quais pretendemos reduzir eventuais incômodos para a Sociedade, para os arquitetos e para toda a cadeia produtiva iniciada com o projeto arquitetônico e suas especificações.

Até o presente momento estão previstos convênios entre o CAU e os CREAs das seguintes Unidades da Federação: AC, AM, AP, CE, DF, GO, MA, MG, MS, PB, PE, PI, PR, RN, SC e SE. Nestas localidades a transição tardia ocorrerá mais tranquilamente, pois contará com o espírito público que sempre deveria orientar ações de interesse coletivo entre autarquias do Estado Brasileiro.

Não obstante as parcerias entre os CAU/UFs e diversos CREAs, já serão progressivamente implantados em todas as Unidades da Federação os novos procedimentos de atuação em desenvolvimento para o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, conforme descritos abaixo.

NOVOS PROCEDIMENTOS

Em 22 de dezembro de 2011, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil iniciará a instalação dos novos instrumentos de relacionamento com os arquitetos e empresas de arquitetura via Internet, ativando o primeiro Módulo do Sistema de Comunicação e Informação do CAU- SICCAU.

Este Módulo Corporativo conterá funcionalidades básicas e estará disponível na rede mundial de computadores prestando os seguintes serviços:

1. Preenchimento de Registro de Responsabilidades Técnica - RRT de obra ou serviço (instrumento que substitui a tradicional ART, conforme determinação da Lei 12.378/2010);

2. Consulta de RRTs, dados pessoais, registros profissionais;

3. Solicitação de Certidões de Registro Profissional e de Quitação;

4. Solicitação de Certidão de Acervo Técnico - CAT sem atestado;

5. Visualização de dados resumidos e completos referentes às suas informações cadastrais.

Nota: As Certidões de Registro e de Quitação para as empresas serão disponibilizadas apenas nos Estados de AL, AP, GO, MA, MG, PB, PI, PR, RN, RR, RS, SE - que correspondem aos CREAs que enviaram os cadastros para os respectivos CAU/UFs. Tão logo os demais CREAs enviem os cadastros das empresas de seus estados, estes serviços serão prestados também às suas empresas. Outros serviços e funcionalidades serão implantados gradativamente, em cronograma a ser publicado nos sítios dos CAU/UFs na Internet.

O acesso ao Módulo Corporativo do SICCAU e às demais informações se dará através dos sítios provisórios dos CAU/UFs, pelos endereços "www.cauUF.org.br" - por exemplo: www.caurj.org.br, www.causp.org.br, www.causc.org.br, www.caupe.org.br... e assim por diante. Os arquitetos e urbanistas deverão acessar o SICCAU com os respectivos números de CPF e as empresas com o de CNPJ.

A forma de obtenção dos serviços do SICCAU é auto-explicativa, não necessitando treinamento. Nota: O banco de dados cadastral que alimentará o Módulo Corporativo do SICCAU será o mesmo utilizado no Processo Eleitoral do CAU, fornecido pelo Sistema CONFEA/CREAs.

Para superar eventuais desatualizações no banco de dados, o SICCAU solicitará que o profissional atualize seus dados, principalmente seu endereço eletrônico, pois será através dele que o SICCAU enviará a senha de acesso ao sistema para cada profissional arquiteto e urbanista.

Nesta oportunidade, solicitamos o especial apoio dos arquitetos atuantes no Brasil e sua compreensão para eventuais dificuldades que possam acontecer nesse período de transição, pois estaremos atentos para resolvê-las no menor espaço de tempo possível.

Brasília, em 17 de dezembro de 2012.

Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz, Presidente Eleito do CAU/BR.