terça-feira, 30 de outubro de 2012

Conheça as piscinas mais deslumbrantes do Mundo!

Piscinas são hoje sinônimo de luxo em resorts e hotéis, que gastam milhões para ter um dos principais atrativos para quem viaja a turismo ou negócios.

Por isso, os designers estão cada vez mais criativos na hora de combinar elementos arquitetônicos que não poderiam ser nem mesmo sonhados há uma ou duas décadas atrás. É o que mostra as imagens a seguir.

Bondi Icebergs Pool, Bondi Beach Australia
O Bondi Icebergs Clube foi fundado na Austrália em 1929, mas a piscina que sai do coral em Bondi Bay é perfeitamente moderna.

Sky Bar, Kuala Lumpur, Malásia
Os hóspedes do Sky Bar, no Hotel Traders, podem relaxar com a vista de Kuala Lumpur. No topo do mundo, eles podem desfrutar de drinques, natação e boa música.

W Hotel, Hong Kong
Esta pode não ser a maior opção para aqueles que sofrem de vertigem. A piscina deste hotel, chamada de WET, é a mais alta da cidade.


 Villa d'Este Hotel, Lake Como, Itália
O Villa D'Este foi construído ao longo das margens do famoso Lago Como, na Itália. A linda piscina, literalmente flutuando no lago, oferece vistas deslumbrantes sobre a paisagem.

One & Only Reethi Rah Resort, Maldivas
Diante da beleza natural de uma ilhota das Maldivas, poucas coisas o homem pode fazer para embelezar ainda mais a paisagem. No One & Only Reethi Rah Resort, os arquitetos conseguiram dar este toque com sua bela piscina que se junta ao mar transparente e ao céu azul.


Burj Al Arab
Situada no Burj Al Arab, um dos hotéis mais caros do planeta, em Dubai, a piscina da imagem acima foi feita para aqueles que podem pagar pelo luxo de não apenas cinco, mas sete estrelas. 

 Thompson Toronto, Canada
Descolada e vibrante, a cidade de Toronto é uma das cidades que marca tendência nas artes e na arquitetura. O hotel Thompson, localizado no King West Village, epicentro da modernidade, faz jus ao entorno, com um prédio de design arrojado. Os quartos têm paredes de vidro, o que garante uma vista excepcional da cidade, que chega a concorrer com a da piscina, no terraço do hotel.


Caruso Belvedere, Ravello, Itália
Em uma vila do século 11 situada nas falésias da Costa Amalfitana, no sul da Itália, funciona o hotel Caruso Belvedere. Pinturas cobrem as paredes da casa, afrescos muito bem-preservados enfeitam os tetos e os jardins são cuidados e muito belos. E se a vista a do Mar Mediterrâneo é impressionante, o que dizer de admirar o pôr do sol a partir das águas da sua piscina de borda infinita?

 The Chedi Omã, Omã
O exotismo do Oriente Médio somado às águas transparentes do Mar de Omã pode ser vivido com luxo extremo no hotel The Chedi Omã. Ao conforto de suas suítes, soma-se a mordomia das piscinas privadas, todas elas em frente à praia.

 Fasano Rio, Rio de Janeiro, Brasil
O hotel Fasano, no Rio de Janeiro, marca um ponto alto pelo seu design, assinado pelo famoso designer francês Philippe Starck. Destaca-se pela integração com o entorno, atingida nos quartos pelas grandes janelas de vidro e na piscina situada no terraço, que parece se fundir com o Morro dois Irmãos e o mar de Ipanema.

 Las Ventanas al Paraiso, México
Uma experiência diferente, em uma praia desértica em Los Cabos, no México: essa é a proposta do hotel Las Ventanas al Paraiso, um dos melhores hotéis do mundo segundo guias e revistas especializadas. A piscina é perfeita para relaxar, tomando uma Margarita e desfrutando o pôr do sol.

The Nam Hai, Hoi An, Vietnã
Exotismo, luxo e conforto se encontram no The Nam Hai, situado numa das mais belas praias do sudeste asiático, no Vietnã, beirando o Golfo da Tailândia. A arquitetura do local busca harmonia com a natureza, seguindo as tradições da cultura. As suítes têm piscinas próprias, com água aquecida.

 Um resort do Chile, localizado na costa do oceano Pacífico, investiu R$ 3,2 bilhões para construir a maior piscina do mundo, que tem nada menos que cerca de 960 m de comprimento, tamanho equivalente ao de 20 piscinas olímpicas oficiais.

Lagoas de Cristal
 A piscina mais cara do mundo é conhecida como Lagoas de Cristal e, no ponto central, chega a ter 35 m de profundidade.

Hotel em Xangai/ China

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O Melhor da Arquitetura


O MELHOR DA ARQUITETURA 2012 ESCOLHE OS 24 PROJETOS. OS VENCEDORES SERÃO ANUNCIADOS NA FESTA DE PREMIAÇÃO, DIA 30 DE OUTUBRO 





A cerimônia de entrega do prêmio “O Melhor da Arquitetura 2012”, promovido pela revista Arquitetura & Construção, da Editora Abril, será realizada no dia 30 de outubro, no Memorial da América Latina, às 20 horas. A premiação, que tem por objetivo destacar os melhores projetos arquitetônicos do país, terá como mestre de cerimônias a jornalista e apresentadora Lorena Calábria.A quinta edição do prêmio mostra o sucesso dessa iniciativa. Em 2012, foram inscritos 498 projetos pelos autores. Depois de uma seleção pela redação da revista, 74 finalistas foram selecionados para concorrer ao prêmio. Após essa etapa, ocorreu a votação pela internet. Foram mais de 56 mil votos no período de 6 de agosto a 17 de setembro.Os vencedores foram escolhidos pelo voto dos internautas e por uma comissão julgadora composta por formadores de opinião, como André Corrêa do Lago, diplomata e um dos mais respeitados críticos de arquitetura do Brasil; Marisa Moreira Salles, editora chefe e diretora de arte da Bei Editora; Cristiane Correa, arquiteta e diretora da C4 Editora; Raul Juste Lores, jornalista; Scheila Ornstein, arquiteta, urbanista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo;  Alessandro Castroviejo, arquiteto e professor de Projeto na Universidade Mackenzie; Rosa Artigas, historiadora e professora de História da Arquitetura na Escola da Cidade e Livia Pedreira, publisher do núcleo Casa e Construção, da Editora Abril. 




Para a arquiteta Sheila Ornstein, que participa do corpo de jurados, a premiação apresenta um panorama atual das principais tendências do país em termos de produção arquitetônica e urbanística incluindo desde edifícios habitacionais  de pequeno porte até grandes empreendimentos como museus e hospitais. “Em 2012, os projetos revelaram a grande maturidade dos profissionais brasileiros para enfrentar desafios em trabalhos voltados à edificações de grande complexidade, à funcionalidade e à tecnologia aplicada nos sistemas construtivos. Mas ainda há um longo caminho a ser percorrido na compreensão de critérios de sustentabilidade e de acessibilidade”, conclui Ornstein.


No dia da cerimônia, o público conhecerá os vencedores nas seguintes categorias: intervenção urbana; retrofit; restauro; edifícios institucionais nas áreas de cultura, educação, lazer e saúde; edifícios industriais; edifícios comerciais ou de escritórios (limitados a até 4 pavimentos ou 500 m² e acima de 4 pavimentos ou 500 m²); escritórios (instalações e interiores); restaurantes; bares e cafés; casas noturnas; lojas e showrooms; condomínios residenciais (limitados a até 5 pavimentos ou 3.000 m² e acima de 5 pavimentos ou 3.000 m²); residencial (reforma – casa e apartamento, campo – até 300 m² e acima de  300 m²,  praia e cidade – até 300 m² e acima de  300 m²). “O Melhor da Arquitetura 2012”entrega dos prêmios: 30 de outubro de 2012local: Memorial da América Latina, avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, São Paulohorário: 20 horas



+Mais informações: www.melhordaarquitetura.com.br

Fonte: assesoria de imprensa/divulgação

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

DIREITO DE RESPOSTA REVISTA ÉPOCA: SERGIO DE OLIVEIRA


Prezados amigos e parceiros de profissão

Depois de tanto estudar, pesquisar, desenhar, criar e elaborar situações nunca vividas pelos nossos clientes, enfim, depois de tanto fazer por eles simplesmente somos confundidos como recebedores de “propinas”?

Percebe-se nitidamente que o Sr. Walcyr Carrasco usou de um parecer pessoal, talvez uma “bola de cristal” ao escrever este artigo, frases como: ...me lançava um olhar penetrante. Arquitetos, designers de interiores ou, como diziam antes decoradores, desenvolvem um olhar especial para dizer: “Como você é brega”. ... olhar de desprezo absoluto...
A falta de sintonia e a quebra de confiança nesta relação são evidentes.
Como “EXPERT” no assunto deveria deixar muito claro na primeira entrevista quais eram suas necessidades, seu gosto, etc.

Ele diz que reformar imóveis tem sido uma atividade constante na sua vida, no entanto demonstra total desinformação quanto às atribuições de um arquiteto, designer de interiores e de um decorador.

É preciso esclarecer a respeito de nossas profissões, quem são os profissionais atuantes no mercado, que títulos possuem e o que fazem por suas habilitações no mercado da construção civil e da decoração de interiores.

ARQUITETO: cursa uma escola de nível superior por 05 anos, se prepara para compor, criar e conceber o inédito transformando cidades e todo um Universo de ambientações exteriores (Arquitetos Urbanistas) e interiores (Arquiteto de interiores).
É técnico, é um profissional bacharel em Arquitetura.

DESIGNER DE INTERIORES (1): cursa uma escola de nível superior de terceiro grau por 03 anos, se prepara para conceber e criar ambientes, é habilitado basicamente para trabalhar com interiores. É tecnólogo em Design de Interiores.

DESIGNER DE INTERIORES (2): curso técnico de design de interiores de 2º grau. Duração aproximada de 2 anos.

DECORADOR: Quem forma um Decorador é o curso livre de decoração (carga horária aproximada de 54 horas), dos quais temos vários no mercado e foram de suma importância para o inicio da historia da Decoração no Brasil.

Há também no mercado, pessoas que mesmo sendo auto- ditadas se destacam na atividade da decoração pela sua competência, talento e dedicação.

“TODOS ESTES PROFISSIONAIS POSSUEM EM COMUM A ARTE DE CRIAR”.

Sabemos e vemos constantemente, pessoas que apenas adotam o titulo para poder se infiltrar no assunto ou no mercado, passando-se por Arquiteto ou Designer de Interiores, ora, isso não pode nem deve acontecer mais, é muito grave!!! E o pior, às vezes apoiadas por uma mídia que desconhece como se formam esses profissionais e os promovem...

É comum pessoas se passarem por médicos, sem sê-lo e o caso, vindo à tona termina em processo. Em nossa classe isso não acontece, não existe fiscalização.
 “Precisamos tomar uma atitude sim, em relação a isso antes de nos defendermos desse texto que diante de tanta gravidade se torna apenas num aperitivo para tantos assuntos que temos que tratar para moralizarmos a nossa profissão”.


As profissões citadas acima têm regras de conduta, de ética, de comportamento e atitudes, como qualquer outra, quem atua nelas é na sua grande maioria pessoas bem formadas e esclarecidas, que sabem o que estão fazendo, têm responsabilidade e trabalham como todo profissional para executar algo e receber por isso; é uma troca justa e legal.
Esclarecer ao cliente seus métodos e sua forma de cobrar é uma obrigação.

Reuniões e assembleias são de fato necessárias para rever os custos de nossos honorários, é preciso um partido.
Cada um a partir daí, coloca seus valores baseados em sua experiência profissional.
O cliente ciente dos custos operados no mercado escolhe o profissional por afinidade, exposto todas as formas de ganho, dificilmente ocorrerão duvidas ou desconfianças.

Em uma negociação imobiliária, há o “fee” deste trabalho que é um valor estabelecido há muito tempo (6%), ninguém questiona.

Sabemos que uma grande maioria de lojas tem dois preços, o do cliente final que entra sozinho na loja e a do cliente que entra acompanhado com o profissional.
É preciso avaliar aqui também a postura do comercio, se estamos a procura de uma conduta e de uma moral, precisamos nivelar todos os interesses.
O comércio precisa entender como agir e parar de denegrir a nossa imagem perante os clientes, deve agir com lealdade e transparência e tornar esta relação saudável.

Este assunto é muito delicado e para tal necessitaríamos de uma consciência geral do comercio para agirmos com as nossas cabeças levantadas e sem mais nenhuma duvida, principalmente por parte dos clientes, e jamais sermos confundidos como recebedores de “propinas”.
Ao especificarmos um produto agregamos valor a ele e consequentemente facilitamos a transação, é justo e correto  recebermos por esta participação, não é justo que o cliente pague mais pelo fato de estarmos acompanhando e também não é justo que esta reserva se transforme em desconto caso o cliente entre sozinho na loja.


MESINHA CONSTITUÍDA POR DUAS TÁBUAS COM PREGOS APARENTES, NA FAIXA DE US$ 10 mil.
Há pessoas consumistas e exageradamente vaidosas que adoram dizer o que fizeram o que compraram e quanto pagaram, em decoração então nem se fala, e da mesma forma, existem profissionais que se aproveitando disso, conseguem vender mesas com duas tabuas e pregos aparentes por dez mil dólares, ora, se um vendeu e o outro pagou, isso não é regra e não nos diz respeito, é apenas uma transação isolada, quem trabalha correto e tem a intenção de se manter no mercado não comete esses deslizes, este motivo não serve como base na avaliação do profissional de interiores.
Desenhar e criar peças são uma de nossas atribuições, e o valor dessas peças quem dá é o criador, isso não se discute, quem paga é porque gosta, reconhece o valor da peça e não questiona se ela é feita com matéria prima de muito valor ou não, sabe-se que o verdadeiro valor esta na criação e não no material que a constitui!

Voltando a questão dos honorários, realmente precisamos entrar num consenso geral e gerarmos de fato uma grande discussão sobre este tema e ali tratarmos dos nossos interesses, discutindo o que é um projeto e o seu valor.
É inaceitável um profissional não cobrar pelo projeto! - Não existe médico que não cobre pela consulta quando tem certeza que vai fazer a cirurgia!
Esses profissionais tem que se conscientizar que se formaram para executar projetos em primeiro plano e isso tem que ser cobrado sim, os outros honorários que incidirem após o projeto, será cobrado também e de outra forma, agora não cobrar projeto, nunca! Estudamos para isso e vivemos disso, como não cobrar?

São nossas atribuições:

Criar, projetar, administrar, executar, especificar, entre outras, e cada uma delas é passível da cobrança de honorários de forma diferente, porém sempre cobradas.   Nenhuma atividade deve invalidar o valor da outra, o que se pode fazer sim é apresentar um pacote total, das atividades, mas sempre depois de cobrado o projeto!
CRIAR E PROJETAR: o custo deve ser fixo (custo do projeto).
ADMINISTRAR E EXECUTAR: o custo deve ser combinado em porcentagem dos montantes dos valores (varia de serviço para serviço dependendo do seu volume e isso é negociado claramente entre o cliente e o profissional).
ESPECIFICAR: temos duas atuações, uma a porcentagem que se cobra do cliente e outra a que se recebe da loja ou da indústria pela especificação do produto (isto jamais poderá ter a conotação de propina, é claramente um reconhecimento comissionado pelas especificações dos produtos).

Todas as colocações feitas pelo Sr.Walcyr a respeito dos valores oscilantes das porcentagens, sejam elas da administração do profissional ou de sua participação nas vendas que o comercio oferece e dá ao profissional, são muito vagas e não afirmam nada, o que nos chama a atenção para buscarmos um valor único e divulgá-lo, para que nunca mais este assunto seja motivo de tanta polemica.
Para que tanto a comissão dos corretores de imóveis quanto a nossa RT sejam tão legais quanto qualquer outro tipo de remuneração por uma transação comercial executada.
Se tivermos que tomar uma providencia, esta providencia sim deverá ser uma reunião séria e oficial, bem representada.


No final do texto do Sr. Walcyr  comenta:

“Na obra e na decoração, o preço deveria ser por metro quadrado, como ao fazer a planta”

Veja, a coisa é tão grave e tão urgente, que ele se dá ao luxo de opinar no quesito HONORÁRIO!

Ele errou muito levando a publico, assuntos e experiências pessoais, mas levantou outra questão que se faz necessário trazermos a tona e resolvermos de uma vez - os princípios básicos de cobrança de honorários começando pelos projetos, e principalmente resolver o assunto RT – Reserva Técnica –(anteriormente chamada de comissão, o que não muda nada apenas o nome que fica apenas menos agressivo).

Em meu nome e em nome da ADESP – Associação de Decoração do Estado de São Paulo – nos colocamos à disposição para agendarmos uma grande palestra discussão para tratarmos deste assunto, onde profissionais colocarão suas opiniões, duvidas e sugestões.
Sem duvida que estaremos assessorados por advogados e contadores que nos orientarão da melhor forma nos aspectos legais e contábeis, e dali sairmos com algumas conclusões que ai sim eu reputo como matéria para publicarmos solenemente nos meios de comunicação que nos apoiam e esperam de nos uma posição em relação ao fato isolado do Sr. Walcyr, mostrando que elegantemente e com sabedoria soubemos como preparar e redigir uma resposta não para ele, mas sim para todo um universo de pessoas que têm duvidas a respeito de nossa atuação no mercado e têm até medo de nos consultar por terem informações de custos as mais variadas possíveis.

São Paulo, 13 de outubro de 2012.
Sergio de Oliveira – Arquiteto
Presidente da ADESP – Associação de Decoração do Estado de  São Paulo

Decor Days expõe seis ambientes decorados na Entrada das Pedras do Parque D. Pedro Shopping



Em sua segunda edição, o Decor Days 2012 chega com novo formato no Espaço Casa do Parque D. Pedro Shopping: enquanto em 2011 os profissionais mostraram a decoração desenvolvida por meio de painéis fotográficos e hotsite, nesta versão o público contempla os próprios ambientes, montados na forma de um hexágono na Entrada das Pedras, em frente à Etna. 

O objetivo do Decor Days, que acontece de 11 a 22 de outubro, é mostrar o trabalho de grandes profissionais e a variedade de propostas que podem ser criadas a partir de peças encontradas nas lojas do Espaço Casa. “A proposta é que os visitantes encontrem inspiração para decorar qualquer ambiente – de forma criativa – encontrando tudo o que precisam em um só lugar. Queremos mostrar que o Parque D. Pedro Shopping é um empreendimento completo, que concentra decoração e objetos para casa, além de moda, presentes, serviços e lazer”, observa Joana Corsi, Gerente de Marketing do Parque D. Pedro Shopping.

O time de profissionais convidados pelo shopping para participar da mostra é o diferencial do projeto. Todos atuam em Campinas e região, mas são reconhecidos nacionalmente e participam de eventos importantes como Casa Cor e Campinas Decor. São eles: Vani Mazoni e Roseana Monteiro – decoraram o Living; Marcia Nassrallah e Silvana Passos – montaram o Espaço gourmet; Ana Carolina Fonseca, Lediane Cardoso Del Bel e Roberta Abdo Lima – responsáveis pela Sala de jantar; Fernando Consoni – criou o Dormitório kids, Ana Lúcia Castro – elaborou o Dormitório adulto, e Otto Felix – assina a Varanda.

O evento conta com a coordenação geral da Partner Eventos, através das sócias e também arquitetas Paula Pilla, Raquel Mansur Ruiz e Simone Souza.





Serviço:
Decor Days 2012
Data: 11 a 22 de outubro de 2012
Local: Entrada das Pedras do Parque D. Pedro Shopping – Av. Guilherme Campos, 500, Jardim Santa Genebra, Campinas – SP (em frente à loja Etna)
Horário: segunda a sábado das 10h às 22h, domingo das 12h às 20h
Entrada franca.

Sobre o Parque D. Pedro Shopping:

O Parque D. Pedro Shopping foi o primeiro shopping center do Brasil  a receber a certificação ISO 14001, pela sua gestão ambiental, e em 2008, conquistou a certificação na área de Segurança e Saúde  de acordo com a norma 18001 da OSHAS (Sistema de Avaliação de Segurança e Saúde Ocupacional).
É o mais completo centro de compras lazer e cultura da região de Campinas, contando com 402 operações distribuídas em 6 alas, sendo 29 âncoras, entre elas C&A, Etna, Fnac, BodyTech, Riachuelo, Marisa, Telhanorte e Zara, e ainda o hipermercado Walmart, 291 satélites, 45 lojas de fast food e 10 restaurantes, entre eles Barbacoa, Giovanetti, Joe & Leo’s, Outback, Empório Santa Therezinha e Viena, 15 salas de cinema, teatro, 37 lojas de serviço, além de 8.000 vagas de estacionamento. Em novembro/2010 o shopping inaugurou a Alameda Parque D. Pedro, que conta com 34 novas lojas com marcas como Crawford, Cavalera, Dress To, Nike, Adidas, Santa Lolla, Espaço Rio by Espaço Fashion e TVZ. (WWW.parquedpedro.com.br).
Fonte: assessoria de imprensa 


DIREITO DE RESPOSTA REVISTA ÉPOCA: ANA WEY


Com profissional do ramo da arquitetura e decoração fiquei simplesmente chocada com a falta de conhecimento somada a falta de sorte do jornalista Walcyr Carrasco da revista Época.

Dias atrás num descabido desabafo li um monte de analises absurdas sobre fatos que ocorrem em nosso meio e são perfeitamente normais e legais perante a classe.

Assim tomei a liberdade de enumerar tais erros de concepção e justificar as ações reais normais que acontecem em nosso mercado.

1-em primeiro lugar um profissional de interiores tem por obrigação lutar pela execução das residências ou habitações, comerciais ou corporativas, de forma a atender os anseios e necessidades dos moradores ou ocupantes, transformando o local no melhor ambiente possível, utilizando materiais, moveis, equipamentos que atendam todas as normas ambientais, sejam práticos e funcionais, confortáveis, dentro do mínimo gasto financeiro possível. Assim a equação seria. :
Custo $ =  Função + Praticidade + conforto + Estilo

 Portanto de acordo com o produto adquirido teremos aquilo que pretendemos. Não há milagres!  Dentro dessa equação não há o que se culpar o profissional, pois a decisão SEMPRE será do cliente! Quanto se quer chegar nesses princípios será primordial para alcançaremos um bom resultado final.

Isso não quer dizer que o barato sai caro, nem que o caro é o melhor, mas o profissional deve orientar o cliente de todas as qualidades e defeitos de um produto... Nem todos são iguais, não existem milagres dentro de produtos de qualidade!

2- a capacidade do profissional também devera ser avaliada antes se sua contratação, pois existem muitos que se dizem bons profissionais, mas deixam a desejar... Infelizmente, outros deixam seus assessores e estagiários no comando e fiscalização de obras e o resultado sempre è catastrófico!

Não há como se proteger destes, mas podemos dispensá-Los assim que um dos vacilos acontecer...

3-quanto a tirar ou colocar moveis antigos, já existentes ou não, depende do projeto conceitual inicial! Se o Sr Walcyr não queria deixar de usar nenhum dos moveis que lhe pertencia porque nao insistiu, ou deixou que fossem jogados fora?
Nao existe receita para a falta de dialogo entre cliente e profissional de interiores...
Se nao houver cumplicidade, honestidade e confiança o resultado final do projeto será o pior possível, ou a casa de "outra pessoa" e nao do cliente...

E isso é o pior, pois a função maior dos profissionais de nossa área é atender nao só as regras básicas da arquitetura de interiores, mas realizar os sonhos do bem morar de seus clientes.

4- quanto a RT ou porcentagem o Sr Walcyr esta profundamente enganado em suas conclusões, confiando em informações não checadas adequadamente talvez fontes quiçá duvidosas ou tendenciosas... Cheias de emoções, rancorosas, resultantes de uma relação desgastada...

Existem maneiras diversas de cobranças de projeto de decoração :

1-Execução de projeto completo ( aqui o projeto é apenas escrito e desenhado em plantas com o memorial descritivo e especificação geral de moveis , cores e materiais , maquinários e equipamentos em geral)- cobrado por m² ( demanda de horas de trabalho pensante traduzido num conceito e exposto em desenhos e plantas ) tabelas existente e publicado pelas associações como ABD, ADESP,CAU,CREA e IAB, sem falar das associações fora de São Paulo por todo o Brasil

2-Execução dos projetos com acompanhamento da obra com responsabilidade civil ou nao.( demanda vários meses de acompanhamento junto aos prestadores de serviços, junto aos fornecedores e acompanhamento do cliente em suas compras.
Tal serviço só estará incluído na entrega final da obra com o funcionamento concluído e completo.

Preço do projeto por m2 cobrado mais porcentagem de 10 %a 20 %, relativo a administração e gerenciamento da obra compondo os projetos, especificações, responsabilidade civil, compras, entrega, cumprimento de prazos e adequação e montagem da obra até sua entrega final  sobre o total gasto pelo cliente pré calculado ou a ser calculado no final da obra, mais a RT relativa ao comprometimento do fornecedor junto aos profissionais).

Portanto para esses casos o preço total é: preço de projeto por m2 + 10 á 20% de porcentagem sobre o total gasto na obra + RT porcentagem de 10% retida junto ao fundo dos fornecedores relativo ao comprometimento com os profissionais garantindo o melhor para o cliente ( é a garantia do melhor produto dentro do melhor prazo ) para administração e gerenciamento da obra como um todo.

O pacote total é esse, mas existem negociações paralelas que só dizem respeito á contratos particulares entre as partes que só dizem respeito ás partes.

3-consultoria por horas trabalhadas numa escolha única ou num simples acompanhamento de projeto cobradas pelo mercado de diversas formas de acordo com o tempo de experiência de cada profissional atuante.

4-quanto a RT , ou representação tècnica é uma porcentagem complementar já calculada na somatória do custo de projeto e gerenciamento do projeto e da obra.
É paga aos profissionais pelas empresas e lojas do mercado fazendo com que o cliente conte com a fiscalização e entrega dentro do melhor  produto e qualidade aproximando ao máximo o conceito da idéia e criação inicial do projeto ao produto final.

Agora o erro esta em se achar que essa RT esta no acréscimo do preço do produto junto ao cliente. Se o sr Walcyr conseguiu 40% de desconto numa determinada loja com certeza o arquiteto ou decorador que o indicou ao fornecedor ou simplesmente sua representação no carimbo da planta, recebeu normalmente seus 10% como é de praxe.

Nao há mistérios!

Todas as empresas contam com um valor especifico que forma um fundo cuo nome é reserva tecnica e traduz a confiança do profissional na empresa e da empresa em seus profissionais, essa parceria resultará SEMPRE no melhor para os clientes.

Mesmo que o cliente consiga tirar ou negociar o melhor preço a reserva tecnica continuará assegurada ao profissional!

 Agora me admira muito uma pessoa tão esclarecida como o sr. Walcyr  não ter o conhecimento dessa pratica mais antiga que andar para traz como dizia minha avó... No mundo todo essa pratica é exercida! Nos Estados Unidos as percentagens dessa RT é maior ainda!!!

O cliente deve ser informado pelo profissional que esse pagamento complementara os pagamentos dos serviços prestados pelo profissional contratado, pois assim a Relação contratual estaria resolvida.

Conclusão:   Uma pena o Sr. Walcyr não ter tido sorte com a contratação de seus profissionais durante suas reformas... Qualquer bom profissional teria criado espaços incríveis despojados confortáveis, agradabilíssimos a pessoas com tantas histórias como ele que, a meu ver, tão fluente na linguagem e nas palavras... Não conseguiu passar o seu ideal do "bem viver"... ( regra básica da primeira entrevista dos profissionais com seus clientes: estabelecer o memorial de necessidades, função e preferências... portanto... MÁ SORTE!!!

Texto: Ana Wey (Vice Presidente da ADESP - Associação de Decoração do Estado de São Paulo)

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Nova fachada da Fundação Cásper Líbero ganha prêmio de arquitetura



Projeto da nova fachada da Fundação Cásper Líbero ganha prêmio de arquitetura


No dia 20 de setembro, a Fundação Cásper Líbero foi premiada durante a 9ª Edição do Grande Prêmio de Arquitetura Coorporativa, considerado o maior da América Latina. O prêmio foi entregue ao presidente Paulo Camarda e à superintendente patrimonial Angela Esther de Oliveira.

O projeto da nova fachada do prédio conquistou a vitória na categoria Profissional Retrofit, termo que significa o processo de modernização de um antigo edifício. Conduzido pela Superintendência Patrimonial e pelo escritório Candusso Arquitetos, o plano visa a alterar o prédio, mas conservando suas principais características.

Localizado na Av. Paulista nº 900, o edifício é um importante símbolo da avenida: um dos principais pontos para diversas manifestações e encontros da cidade. Projetado pelo engenheiro e ex-prefeito Figueiredo Ferraz, foi construído para ser o maior prédio em concreto armado do mundo, contudo, mudanças durante a obra fizeram com que ele ficasse reduzido em altura e nunca fosse finalizado.

A proposta do escritório é manter a transparência da fachada e criar elementos arquitetônicos verticais que servirão de shafts para a distribuição do ar condicionado central, alterando as máquinas individuais que ao longo dos anos foram sendo implantadas de maneira aleatória.

A reforma segue as tendências contemporâneas de arquitetura: serão criados terraços com jardins ao longo de alguns andares, alterando a volumetria, mas respeitando o conjunto do frontispício. Essas mudanças estéticas têm o intuito de refletir valores e ideais da instituição e fortalecer a marca Cásper Líbero. 

fonte:Paula Hernandes



quinta-feira, 11 de outubro de 2012

CASA COR CAMPINAS 2012

CASA COR CAMPINAS 2012 movimenta mercado de decoração 


          Mostra, que acontece de 30 de outubro a 02 de dezembro, gera cerca de mil empregos diretos e indiretos. Expectativa é que o evento receba de 30 a 40 mil visitantes A CASA COR CAMPINAS 2012, que acontece entre 30 de outubro e 02 de dezembro, com o tema MODA. ESTILO. TECNOLOGIA., promete movimentar o mercado de arquitetura e design da região. Em 25 dias de mostra, que ficará aberta ao público de terça a domingo, de 30 a 40 mil visitantes devem passar pelo prédio da Cúria Metropolitana. Neste ano, a mostra reúne mais de 40 profissionais, que são responsáveis pelos 38 ambientes. Além disso, emprega aproximadamente mil pessoas, direta e indiretamente.
Segundo a presidente da CASA COR CAMPINAS, Adriane Salomão Sanna, os investimentos chegaram a 5 milhões de reais. “A ideia é que os espaços se aproximem ao ambiente de um condomínio. Também estamos investindo em ambientes de permanência”, afirma.
Adriane explica que todos os ambientes estão sendo planejados de acordo com as últimas novidades em tecnologia e as tendências em design e moda. “Esperamos que as pessoas se enxerguem nesses espaços e levem as tendências da mostra para seus lares, gerando negócios e demanda aos profissionais da mostra”.

   Special Sale A CASA COR CAMPINAS oferece ainda a oportunidade dos visitantes adquirirem os produtos que compõem os ambientes. Durante o Special Sale, que acontece nos últimos dois dias da mostra, mobiliário, acessórios, obras de arte e equipamentos expostos no evento podem ser comprados com descontos especiais que variam de 30% a 70%.
Segundo Adriane, a participação das empresas no Special Sale não é obrigatória, mas, grande parte das lojas se interessa em vender os produtos expostos. “O incentivo para as vendas é a inspiração que a decoração dos ambientes proporciona aos visitantes, levando-os a adquirir peças para a casa ou escritório sabendo como combiná-las
perfeitamente”, diz.  
Entre os profissionais da mostra, destacam-se: Elaine Carvalho, com o Loft e Estúdio da Gisele Bündchen; David Bastos, que projeta o Loft do Estudante; Beto Tozi, com o Studio da Editora de Moda; Adriano Stancati e Daniele Guardini, responsáveis pelo restaurante operado pelo Giovanetti; Otto Felix, apresentando o Pavilhão Slow Design; Celina Zappelini, que apresenta o Office da Arquiteta; Maycon Flamarion, Ana Paula Barros e Thiago Soares, com a Suíte Master; e
Adriana Consulin, responsável pela Cozinha e Lavanderia. 
CASA COR CAMPINAS 2012
Com o tema MODA. ESTILO. TECNOLOGIA, a CASA COR CAMPINAS 2012 pretende retratar o universo fashion que se faz cada vez mais presente nos projetos de decoração. A mostra ocorrerá entre 30 de outubro e 02 de dezembro, no prédio pertencente à Arquidiocese de Campinas, imóvel que abrigou a Cúria Metropolitana.
   A escolha do local levou em consideração a criação de espaços mais intimistas, que se aproximassem do aconchego de um lar. Com suas linhas arquitetônicas Art Déco, o prédio, de três andares, tem as proporções ideais para a realização desse tipo de projeto. "A ideia é representar um ambiente de condomínio", afirma a presidente da CASA COR CAMPINAS, Adriane Salomão Sanna. "No andar térreo, por exemplo, teremos uma área de convivência, alimentação, entretenimento, entre outros. No último pavimento iremos simular os ambientes de um apartamento e no andar intermediário, haverá lofts e offices, já que hoje a tendência são os escritórios e espaços comerciais dentro do próprio condomínio", complementa Adriane.

A área útil bem distribuída faz do prédio o local ideal para a criação desses espaços acolhedores. Segundo Adriane, todos os ambientes que contemplam uma residência serão planejados de acordo com últimas novidades em tecnologia e as tendências atuais em design
e moda - tema principal da mostra neste ano.    A localização
central e de fácil acesso, além de sua importância histórica para a Cidade, é outro ponte forte do evento. "A localização da mostra facilitará o acesso dos visitantes, profissionais e fornecedores - o que é fundamental”, analisa. Adriane comenta que o acesso central também facilita a realização de eventos em horários diferenciados durante a amostra, como, por exemplo, desfiles, palestras e coquetéis.



+Mais!

Site Oficial: http://www.casacorcampinas.com.br/
Período: de 30 de outubro a 02 de dezembro
Local: Rua Irmã Serafina, 88 - Bosque - Campinas - SP

fonte: Anna Carolina Sampaio

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Casa Cor Rio 2012


De frente para uma das paisagens mais deslumbrantes da cidade – o Pão de Açúcar -, em endereço nobre – a Avenida Rui Barbosa -, a 22a edição da Casa Cor Rio 2012 se instala em um casarão cheio de história para contar.

Com pé direito altíssimo e amplas janelas, o belo e famoso prédio, em estilo eclético e com mais de 5.400 m2, foi sede do Internato da Escola de Enfermagem Anna Nery (1926 – 1973) e da Casa do Estudante Universitário (1973 – 1995).
Erguido em 1922 pela Prefeitura do Rio, abrigou até 1926 o Hotel Balneário Sete de Setembro. Por isso mesmo, a edição deste ano tem o mote “a arte de receber bem”. A cara do Rio, uma das cidades mais hospitaleiras do mundo. O evento reúne cerca de 85 arquitetos, decoradores e paisagistas, que criam mais de 53 ambientes.
Tema: Moda 
Moda, Estilo e Tecnologia, temas de Casa Cor em todo o Brasil, e que refletem o novo momento da economia brasileira e do mercado de arquitetura e decoração. 

Enquanto estampas, materiais, texturas e cores servem de referência para os estilistas e ganham novas interpretações nos projetos de arquitetura, design de interiores e até na construção, a tecnologia hoje é parte fundamental no estilo de vida moderno, que pede conforto, funcionalidade e praticidade, sem perder a beleza e a elegância. 
Serviço:
Ingressos: 
de Terça a Sexta..... R$35,00 
(estudantes apresentando carteirinha e idoso acima de 60 anos pagam MEIA-ENTRADA)
Sábado, Domingo e Feriados..... R$40,00 
(estudantes apresentando carteirinha e idoso acima de 60 anos pagam MEIA-ENTRADA)
Crianças até 10 anos.... GRATUITO
Revista Casa Cor...... R$20,00
Estacionamento..... R$30,00
**Associados Bradesco Seguros tem 50% de desconto na compra de até 2 ingressos, apresentando carteira válida!
**Cartão Mastercard - Ao usar cartões de crédito MASTERCARD (Platinum, Black) para  comprar ingressos, o segundo é gratuito.
+Mais!
Período:
03 de Outubro a 19 de Novembro 

Local:
Av. Rui Barbosa nº 762 - Flamengo - Rio de Janeiro - RJ 
Horário: 
Terça a Domingo: das 12h00 às 22h00 


Fonte: http://www.casacorrio.com.br/ e http://www.casacor.com.br/riodejaneiro
(A ADESP não se responsabiliza por qualquer alteração nos valores dos ingressos, as informações foram retiradas diretamente do site dos idealizadores no dia 10/10/2012)