quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Ecovillage, um novo conceito em habitação sustentável.

Diretamente de Milão, o arquiteto Federico Pella nos concedeu essa entrevista sobre o seu premiado projeto de habitação sustentável, o EcoVillage. Leia a seguir quais são os diferenciais que tornam esse projeto tão especial.

O projeto surgiu da ideia de 5 jovens rapazes  em 2011, sendo o Federico um deles, em construir uma Ecovillage, onde o diferencial é o network de empresas que colaboram com o projeto, juntando todos os know-how para formar um projeto sustentável único.

A proposta desse projeto era construir uma casa que não alterasse a estrutura do solo, tendo formato horizontal, oferecendo flexibilidade e mobilidade a casa e rapidez na sua construção.


Através do concurso Eco Luoghi 2011, que é um concurso nacional feito em 2 fases, sendo: a 1ª fase sobre sustentabilidade completa em um projeto com 45m2 e a 2ª fase, o arquiteto que ganhou a primeira fase, tem que conseguir um time de empresas para construir o seu projeto à custo zero. Federico optou pela rede da empresas Infra Build na qual se juntaram 20 empresas da Lombardi, priorizando a economia de custos e tempo.




O projeto apresentado por Federico era composto por 2 alas separadas, sendo uma diurno, onde há um living, cozinha e banheiro e outra ala sendo a noturna, onde ficam os dormitórios. Os tetos são compostos de painéis solares fotovoltaicos para geração de eletricidade e água quente. Tendo como opcional ousado uma piscina, que poderia ser feita sobre o teto, ao lado ou até mesmo dentro da casa. Seria uma piscina tradicional ou SPA, que funcionaria com sistema energético geotérmico (calor da terra) ou eólico(vento), claro que de uso universal para mais de uma habitação, como num condomínio.





A utilização de um novo tipo de madeira, chamada da nova geração, foi uma das estrelas desse projeto, segundo Federico.“Trata-se de madeiras especiais que são plantadas em hectares especiais na Áustria e na Suíça, lá elas são cortadas e replantadas , a fileira bosco –legno, não é uma madeira vazia como a americana, é uma madeira estrutural ”, explica Federico.
Outro diferencial desse sistema EcoVillage, está na forma de cobrança da energia gasta nesse tipo de habitação. Com redes próprias, cada proprietário vai pagar um FEE anual, que é sempre o mesmo, se gastar menos vai ter desconto no ano seguinte. Cada habitação tem sua própria autonomia.
Esse projeto vai ser construído perto de Monza a principio para o próximo ano,as habitações foram vendidas antes mesmo da sua construção. Outros projeto já realizados perto de Milão que são    2 vilas de casas, que já estão vendidas e acabadas com 3 pisos de 300m2 cada em apenas 19 dias e com 3 pessoas para fazer a estrutura. Por enquanto a lei permite a construção de até 5 pisos, mas no Japão onde esse tipo de habitação também está sendo construída, já vi habitações com até 12 pisos.
Todos os projetos vencedores ficam expostos no MAXXI de Roma para uma exposição internacional no ultimo mês de Junho a Julho.



Federico recebeu uma proposta do museu Maxxi de Roma, para projetar a primeira casa protótipo sobre as 10 casas já existentes, onde funcionaria um pavilhão didático para crianças, com mobilidade dessa casa e com sua construção em apenas 3 dias.
Em nestes dias o edifício será construído e a inauguração será realizada no sábado, 24 de Novembro as 17h no Maxxi de Roma. Será o primeiro edifício modelo construído completamente com material reutilizado. “Esse projeto é para todos, não só para um tipo de classe econômica, é um sistema construtivo rápido, flexível e econômico que precisa ser executado em harmonia com projeto urbanístico.  Durante a conferencia internacional “Rio + 20”, o ministro italiano do Meio Ambiente, Corrado Clini, conversou com a presidente Dilma Rousseff sobre a viabilidade de aplicar esse tipo de solução como a do EcoVillage em projetos sociais como “Minha casa,minha vida” , afirmou Federico Pella.
Estamos prontos para o mercado brasileiro e acreditamos que podemos levar novas soluções para habitações no sentido de “viver bem” e em sociedade, sempre com produtos inovadores e de qualidade.


Referenças:
www.nuevoformat.it (para Maxxi Rome e o Format)
www.infra-build.it  (a Rede da empresas)
www.seringsrl.it (o atelier)


 Por: Emanuella Minari Ferreira
 Colaboração: Marzia Carozzi

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Salone internazionale del Mobile - Design Week Milão 2013

Salone internazionale del Mobile - Euroluce, Salone Ufficio, Salone Satélite e Fuori Salone.

Design Week Milão 2013

Milão - Itália, 07 a 14 de abril 2013
Saída: 07/04/2013

Pacote: 2.523

Um roteiro para não perder as melhores exposições e lançamentos no mais importante evento de design do MUNDO. Mais de 1.500 expositores, 200.00m² e mais de 500 atividades fora do salão. Venha conosco. Garanta já o seu lugar!



Roteiro:

07 de abril - DOM - Saída de São Paulo com destino a Milão com escala em Madrid.
08 de abril - SEG - Chegada a Milão traslado para o hotel e hospedagem tarde e noite livre.
09 de abril - TER - Dia livre para visitar a feira "I Salone" e "Fuori Saloni".
10 de abril - QUA -  Dia livre para visitar a feira "I Salone" e "Fuori Saloni".
11 de abril - QUI - Dia de visita técnica as fábricas da FGV e da GIEFFE.
12 de abril - SEX - Dia livre para visitar a feira "I Salone" e "Fuori Saloni".
13 de abril - SÁB - Manhã livre ou passeios opcionais + traslado e embarque para Madrid c/ destino SP.
14 de abril - DOM - Chegada a São Paulo.

Inclui:
Passagens aéreas voando IBÉRIA São Paulo / Madrid / Milão / Madrid / São Paulo ; Traslado Aeroporto / Hotel / Aeroporto ; 05 noites de hospedagem no Hotel Best Westem Milton Milano 4* (linha Maciachini amarela) ; Com café da manhã, ingressos feira 03 dias, Chip telefônico, Seguro viagem Intermec Plano Embassy.
Visita técnica dia 11/04 à fábrica da FGV (empresa de ferragens utilizadas por essas fábricas: Todeschini, Florense, Evviva Bertolini), almoço oferecido pela FGV e a tarde visita a fábrica da GIEFFE (empresa de armados e utensílios).

Não inclui:
Taxa de embarque (€157,00); Despesas de caráter pessoal; Gorjetas e agrados aos prestadores de serviços; Alimentação; Passeios turisticos opcionais; Transfer fora do programa; e taxas que venham a ser cobradas.



Pacote (Aéreo + Terrestre) : A partir de €2.523 por pessoa em apto duplo.
Condição de pagamento: Entrada de €758 + 05x de €353 no cartão de crédito ou cheque.
IMPORTANTE: Suplemento individual €850 Valores expressos em EUROS (Single).
Programação e valores sujeito a alterações sem prévio aviso; Saída de São Paulo; Consulte-nos sobre demais locais de Saída.


Informações: 11.2268-1079 ou info@petrovicpalma.com.br ou atendimento@adesp.arq.br ou 11.3063-5900

Organização: PetrovicPalma
Parceria: FGV BRASIL - Ferragens para móveis. 
Apoio: ADESP - ASSOCIAÇÃO DE DECORAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Grandes nomes da arquitetura das Américas se reúnem em Maceió para discutir “Futuro das Cidades”


Estudo recente da ONU indica que a taxa de urbanização no Brasil e nos países do Cone Sul chegará a 90% até 2020. No México e nos países da região Andino-Equatorial, o número atual está perto de 85%. O Caribe e a América Central têm taxas de urbanização mais baixas, mas o aumento é constante, com perspectiva de chegar a 83% e 75% da população urbana em 2050, respectivamente. 

Se em 1950 a América Latina tinha 320 cidades com pelo menos 20 mil habitantes, meio século depois o número passou para 2 mil. As metrópoles (com mais de 5 milhões de habitantes), que não existiam na América Latina e no Caribe em 1950, hoje somam oito na região: Cidade do México, São Paulo, Buenos Aires, Rio de Janeiro, Lima, Bogotá, Santiago e Belo Horizonte. 



Rio de Janeiro
Rio de Janeiro
São Paulo
São Paulo
Cidade do México
O incremento demográfico exponencial nessas metrópoles também trouxe grandes desafios nas áreas de mobilidade urbana, habitação e saúde pública. A discussão sobre as melhores soluções para enfrentar essas questões e oferecer melhor qualidade de vida à população das cidades latinoamericanas será o foco para os cerca de dois mil profissionais da arquitetura e urbanismo que se reúnem em Maceió, de 27 a 30 de novembro, durante a 24ª edição do Congresso Pan-Americano de Arquitetos (XXIV CPA).

De acordo com o presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil em Alagoas (IAB/AL), Rafael Tavares, as cidades com menos de um milhão de habitantes são as que apresentam maior crescimento. “Maceió será o grande palco de debate sobre o futuro das cidades do ponto de vista da arquitetura e urbanismo”, ressalta Tavares.

Realizado pela primeira vez no Nordeste, o evento organizado pelo IAB e pela Federación Panamericana de Associaciones de Arquitectos (FPAA) reunirá congressistas de 42 países e contará com 12 fóruns, 15 conferências e apresentação de 120 trabalhos científicos.

Exposições paralelas
Para tornar o Congresso ainda mais interessante, serão realizadas duas exposições: a Mostra de Arquitetura Pan-americana, que apresenta trabalhos premiados internacionalmente e expostos em outros países, e a Pan Design 2012, exposição crítica de produtos pan-americanos de design, paralelamente às outras atividades. 

Convidados 

Entre os grandes nomes da arquitetura que já estão confirmados no XXIV CPA estão o carioca João Filgueiras Lima (Lelé), conhecido pelos projetos desenvolvidos para os hospitais da Rede Sarah Kubitschek; o norte-americano David Leatherbarrow, um dos críticos mais notáveis no panorama arquitetônico dos Estados Unidos; e o venezuelano Rafael Viñoly, que atua nos Estados Unidos há 45 anos. Ao todo, 14 conferencistas irão marcar presença no encontro. A lista completa dos participantes pode ser conferida no site www.xxivcpa.com.br.

O Congresso Pan-americano de Arquitetos é um dos eventos mais esperados pela categoria e acontece a cada quatro anos em uma das principais cidades dos países pan-americanos. O Rio de Janeiro foi palco do evento em 1930, que foi realizado também em Brasília, em 1986.


Serviço:


Fonte: Imprensa/Divulgação