terça-feira, 15 de outubro de 2013

IDEAS CITY com Paulo Mendes da Rocha no SESC

   

     Conferência global discute ideais de soluções para as cidades com a influência da arte e da cultura em grandes centros urbanos e traz arquitetos, urbanistas, artistas, curadores, designers e ativistas internacionais para  mesas de discussão, painéis e workshops. Abertura tem como convidado o arquiteto e urbanista Paulo Mendes da Rocha
     De 25 a 27 de outubro, o Sesc Pompeia sedia, em parceria com o New Museum de Nova Iorque, a conferência internacional IDEAS CITY: São Paulo, evento bienal que reúne artistas, arquitetos, urbanistas e pensadores para refletir sobre o futuro das cidades sob a ótica da arte e da cultura. Após passar por Istambul, a capital paulista está no centro das conversas dos principais pensadores da contemporaneidade e acontece paralelamente a X Bienal de Arquitetura de São Paulo, cuja programação também acontece no Sesc Pompeia com o tema Modos de Colaborar, com uma exposição e duas residências-colaborações em parceria com o Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes e o Teat(r)o Oficina.
    "Como seria estar em um país famoso e ainda viver em uma cidade inexplorada? De acordo com o historiador francês Fernand Braudel, São Paulo transformou-o em uma pessoa mais inteligente ", afirma Danilo Santos de Miranda, Diretor Regional do SESC São Paulo. "Quando as pessoas visitam São Paulo pela primeira vez, elas enfrentam uma série de paradoxos: o melhor e o pior, o mais feio e o mais belo coexistem. Esta convenção revela um pouco da sociedade elástica em que vivemos. Manifestações populares tornaram-se uma forma de falar e ouvir, e movimentos ocupacionais são agora uma parte da rotina de muitas cidades. Alguns países estão questionando como e por que eles estão sendo investigados por outros países. A internet espalha notícias sem censura e as transmissões oficiais já não representam as opiniões mais importantes. O New Museum e o SESC convidam os cidadãos a pensar em cidades complexas em um mundo mais rápido, com análises superficiais, e ao mesmo tempo, mais otimista, e definitivamente mais inteligente".
    O IDEAS CITY foi criado em 2011 pelo New Museum, o único museu novaiorquino dedicado somente à arte contemporânea. Criado em 1977, é um centro de exposições, simpósios, informação e documentação sobre artistas vivos do mundo inteiro. Situado na Bowery, já levou à sua nova sede - construída em 2007 pelo escritório de arquitetura japonês SANAA - artistas brasileiros que estão despontando no cenário internacional como Rivane Neuenschwander, Cinthia Marcelle, e o já consagrado Cildo Meireles. Bienalmente, acontece o Festival IDEAS CITY, em Nova Iorque, e todos os anos é escolhida uma cidade no mundo para ser o foco de suas discussões sobre o futuro da cidade.
    Em 2011, além de Nova Iorque, foi a vez de Istambul, na Turquia, receber a conferência, onde posteriormente se deflagrou uma crise institucional em meio a manifestações que alteraram o cenário político e social do país. Em São Paulo, onde se encontra uma enorme disparidade econômica, é também o lugar das artes de ponta em que a economia criativa se estabelece. Também é a cidade onde as manifestações de junho iniciaram com mais força.
    É neste cenário que o IDEAS CITY: São Paulo acontece. São três dias de painéis, conversas e workshops que discutem o futuro das cidades com a visão de que a arte e a cultura são essenciais para a vitalidade e a energia dos centros urbanos. A iniciativa, com a qual colaboram centenas de organizações ligadas às artes e à educação, proporciona um espaço de discussão para artistas, arquitetos, designers, urbanistas, sociólogos e líderes comunitários para trocar ideias, identificar problemas e soluções, além de mobilizar a participação ativa do público.
    “As Conferências Globais IDEAS CITY funcionam como um sismógrafo para canalizar sentimentos, movimentos, tendências e redes", diz Lisa Phillips, diretora do New Museum e fundadora da IDEAS CITY. “A conferência se baseia na capacidade de se juntar mentes e vozes que normalmente não se uniriam em torno de uma mesa. O sucesso do programa está no engajamento de colegas e na captação de ideias para serem postas em prática”, finaliza.
   Com o tema Capital Inexplorado, o festival discute os recursos que estão sob ameaça e examina o que está subutilizado nas cidades para que se possa criar novas abordagens e recursos em pessoas, ideias e redes.

Programação
    Abre a programação, em 25 de outubro, a partir das 19h, Paulo Mendes da Rocha, o único arquiteto brasileiro a receber os prêmios Mies van der Rohe Award (2000) e o Pritzker de Arquitetura (2006) e cujas extraordinárias contribuições mudaram dramaticamente a paisagem urbana do país. A abertura ainda conta com a presença do Diretor Regional do Sesc São Paulo Danilo Santos de Miranda e Lisa Phillips, diretora do New Museum.
   Com o tema Canalizando a Resistência: a Raiva como Capital Inexplorado, os debatedores Teddy Cruz, professor de cultura pública e urbanismo na Universidade da Califórnia, e Adam Greenfield, professor, escritor, urbanista, fundador e diretor da Urbanscale, falam sobre como a raiva e a frustração podem ser transformadas em comportamentos construtivos para mobilizar populações em prol de suas reivindicações em uma conversa que abre a programação de sábado, dia 26 de outubro, a partir das 10h. Também vão tratar do papel da arquitetura e da tecnologia na inclusão social.
    Com moderação de Guilherme Wisnik, arquiteto e curador da X Bienal de Arquitetura, o painel De quem é o Centro? Colonização, Conceituação, Capitalização, acontece a partir das 11h30. A mesa conta com a participação do pesquisador urbano e ativista em Istambul Yaşar A. Adanali, a brasileira Ana Paula Cohen, curadora independente, editora e escritora, Suketu Mehta, escritor e professor da Universidade de Nova Iorque, e Charles Renfro, sócio da Diller Scofidio + Renfro, considerada uma das cinquenta empresas de design mais inovadoras do mundo.
    Ainda no sábado, a partir das 15h, acontece o Entreato, uma interrupção interrogativa feita por Eva Franch i Gilabert, parceira do IDEAS CITY, e diretora executiva e curadora chefe da Storefront for Art and Architecture, de Nova Iorque e do Pavilhão dos Estados Unidos da Bienal de Arquitetura de Veneza de 2014.
    A tecnologia e suas redes é tema do segundo painel do dia, Fazendo a Ponte entre Divisores: Gente, Tecnologia, Redes, às 15h30. Mediado por Ronaldo Lemos, advogado e diretor do Creative Commons Brasil, o debate tem como convidados a artista de mídia e professora da Universidade de São Paulo Giselle Beiguelman, o arquiteto, urbanista e professor Carlos Leite e a diretora internacional para a Liberdade de Expressão da Fundação Electronic Frontier Jillian C. York.
    Três artistas brasileiros nascidos em diferentes cidades estão no centro da mesa Adotando a Provocação: as Artes e a Criação da Identidade, que acontece a partir das 18h. Jac Leirner, Jonathas de Andrade e Lucia Koch vão falar do papel do espaço na criação artística e de que modo as cidades influenciam suas obras. Também discutem como as cidades do futuro podem contribuir para a cultura e o bem-estar dos artistas.
     No encerramento da programação, dia 27, domingo, acontece uma oficina em que as conversas sobre o Capital Inexplorado são discutidas em um nível mais pragmático com participantes das mesas e convidados. Chamada de ‘group-sourcing’, produção de conhecimento em grupo, a atividade tem como coordenadores Fernanda Brenner, artista fundadora e diretora do Pivô, Martin Corullon, arquiteto e fundador da METRO Arquitetos, Renato Cymbalista, professor de História Urbana da FAU-USP, Daniel Lima, artista e ativista, Ligia Nobre, historiadora e co-curadora da X Bienal de Arquitetura de São Paulo e Benjamin Seroussi, curador e membro do Conselho Consultivo da Casa do Povo. Ao final, será elaborada uma publicação com o resultado dos encontros.

Para mais informações, visite ideas-city.org sescsp.org.br

SERVIÇO
IDEAS CITY: São Paulo
Dias 25, 26 e 27 de outubro de 2013, sexta a domingo
A Conferência é gratuita e aberta ao público.
Retirada de ingressos com 1h de antecedência, no dia 25 de outubro, sexta; e a partir das 9h, no dia 26 de outubro, sábado. Ingressos distribuídos até a capacidade do espaço.

SESC Pompeia
Rua Clélia, 93, São Paulo / SP
Tel.: (11) 3871.7700
facebook.com/sescpompeia
sescsp.org.br


Por: Emanuella Minari

Nenhum comentário:

Postar um comentário