quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Saiba o que rolou no 1º dia do Festival Economia Criativa – Itália S/A

      O primeiro dia do Festival da Economia Criativa – Itália S/A reuniu no pavilhão Ciccillo Matarazzo, sede da Fundação Bienal de São Paulo, alguns dos nomes mais importantes da arquitetura, design e da economia criativa  da Itália e do Brasil. No Summit “Criatividade Jovem: como se produz a inovação”, o designer Giulio Iacchetti, o arquiteto do Ideiafactory Giorgio Giuseppe Ferone e a autora e diretora do Muse Factory of Projects Francesca Molteni apresentaram suas visões sobre o tema moderados pela presidente da Associação Brasileira de Design de Interiores, Renata Amaral. 
      Sobre o questionamento sobre se os gênios criativos nascem assim ou se a criativiade é adquirida de acordo com o contexto, Francesca Molteni disse: “Os primeiros imigrantes que foram aos EUA realizaram essa viagem sem nenhuma perspectiva e com sua genialidade fizeram fortuna. Mas com certeza eles se colocaram em situação de dificuldade e não de facilidade. O contexto, portanto, pode tanto ser um facilitador quanto um dificultador. Os produtores de lã italianos passam atualmente pela mesma situação e tiveram que reinventar seu contexto e seus produtos para disputar com os mercados emergentes. Muitas fábricas se transformaram em locais onde se faz cultura ao invés de deixar os locais abandonados. É preciso transformar a criatividade em produto, utilizando-se do recurso imaterial para ganhar nova alma nos negócios”.
      Abrindo o debate da nova relação entre design e artesanato, Giuseppe Ferone afirmou que “os criadores italianos estão redescobrindo cada vez mais o artesanato, especialmente durante este momento de crise econômica no País. Dessa forma relembram os grandes mestres, que sempre utilizavam destes recursos manuais como maneira de respeitar e reconhecer o valor desta que foi a base do design”. 
Respondendo ao questionamento de Renata Amaral sobre o movimento sustentável Giulio Iacchetti falou: “Sustentabilidade fornece luz à realidade e deve ser obtida por meio de atitudes culturais, raciocinadas juntas em várias esferas, a social, a econômica e a ambiental. Dessa maneira a cultura dá muito ao mercado e vice-versa, é o fazer colaborativo”. 


(Da esquerda para a direita)- Giorgio Giuseppe Ferrone, Giulio Iacchetti, Rafaella Cietta, Francesca Molteni, Enrico Cietta, José Roberto Moreira do Valle e Ricardo Caminada


       Nesta quarta-feira, às 16h o Summit Temático será sobre “O Valor da Cultura”, com os palestrantes Flavio Albanese e Marcio Kogan (arquitetos) e Cristiana Colli, pesquisadora em economia social. A mediação ficará por conta de David Cohen, diretor de redação da Época Negócios. Das 14h às 16h serão apresentados os projetos “Acre Design”, “Workshop Design e Cultura de Produto no Acre” e “Zona de Processamento para Exportação do Acre”, além de informações sobre os 25 anos de falecimento de Chico Mendes, com o material “25 anos: Chico Mendes Vive Mais”. Às 18h coquetel com a presença do Governador do Acre Tião Viana (para convidados – imprensa deve registrar-se por e-mail gabriel@pontotxt.com). 

         Em 7 de novembro o SUMMIT TEMÁTICO (às 16h) será: “A relação entre o homem e o espaço: na cidade, na empresa, na loja”, com os palestrantes Aldo Cibic, arquiteto e designer; Marcio Manoel dos Santos, Consultor de Marketing Internacional e Enrico Cietta, economista especializado em economia criativa, com moderação de Marko Brajovic, arquiteto e designer do atelier Marko Brajovic. Durante à tarde as apresentações: desenvolvimento da cadeia da piscicultura no estado do Acre e meliponicultura, produção de mel no Acre. 


LANÇAMENTO DA EXPOSIÇÃO DESIGN NA BOLA
11 JOVENS DESIGNERS ITALIANOS REINTERPRETAM A SUPER SANTOS



COM CURADORIA DE GIULIO IACCHETTI E FRANCESCA MOLTENI PROJETO GRÁFICO BEE DESIGN STUDIO UMA MOSTRA PRODUZIDA PELA FESTIVAL ECONOMIA CRIATIVA - ITALIA / SA




      Esperando a Copa do Mundo de 2014, Itália e Brasil encontram-se em São Paulo e o desafio da criatividade começa com a bola. O Festival Economia Criativa - ITALIA S/A é o campo de jogo para 11 bolas de futebol transformadas e reelaboradas por um time selecionado de designers italianos com menos de 35 anos chamados a  transmitir a essência do projeto à italiana. 
     Guiados por Giulio Iacchetti, no papel de “treinador”, e por Francesca Molteni, “diretor esportivo”, os 11 designer que participam do “Design na bola” são: Federico Angi, Paolo Cappello, Maddalena Casadei, Sara Ferrari, Chiara Moreschi, Brian Sironi, Alessandro Stabile, Vittorio Venezia, Giorgia Zanellato, Zaven, Matteo Zorzenoni.
     Tudo começa com a bola Super Santos, um dos brinquedos mais conhecidos e vendidos em larga distribuição, criado em 1962 a partir da ideia de um funcionário de uma importante empresa italiana produtora de jogos, após a vitória do Brasil na Copa do Mundo. Objeto de design democrático, a Super Santos inspirou o talento dos “jogadores” convidados a respeitar a simplicidade, transformando-o em 11 criações, que refletem a sua essência e transmitem a ideia autoral e original do design italiano. O resultado é uma formação de objetos únicos, capazes de comunicar a personalidade do designer que os projetou, criando valor material e imaterial. 



1. SUPERBOWLS
Chiara Moreschi
A bola Super Santos foi aqui utilizada como um molde para obter um conjunto de taças que copiam a sua geometria e textura superficial. As taças referem-se a um momento informal de convívio entre amigos, quando se reúnem para assistir um jogo da Copa do mundo, pesticando pizza e batatas fritas. Uma forma de celebrar a vocação dessa bola de ser o símbolo do estar juntos e do divertir-se tranquilamente.

2. GOAL CUP
Alessandro Stabile
Um objeto no qual se encontram o mundo do design e aquele do futebol é definitivamente a taça. Projetei um troféu que fala a mesma lingua do Super Santos, réplica de plástico das mais caras bolas de futebol de couro. Em vez de glamurosos troféus de ouro, se direciona ao alto uma rede curvada pelo gol que deu a vitória. A taça é constituída por uma dinâmica rede de malha hexagonal, feita de resina estereolitografada, que segura a bola do jogo.  


3. SUPER SANTOS BY NIGHT
Maddalena Casadei
O Super Santos é uma bola de futebol como essas que todos nós brincávamos quando crianças. O meu desejo é aquele de não desnaturalizar a identidade, mas de potencializar a sua utilização. Todos nós jogávamos na rua ou no quintal até a tarde, muitos de nós inclusive à noite... sem nem ver mais a bola! Dessa maneira pensei em cobrir a bola com uma tinta fluorescente que se arrega com a luz do dia para criar iluminação. A luz da Super Santos começa quando termina a luz do sol!

4. ATTRAZIONE
Giorgia Zanellato
A bola na estrada atrai pessoas que se reúnem ao redor para jogar. A bola no campo atrai jogadores que brigam pela sua posse. A bola no estádio atrai milhões de torcedores que não tiram os olhos dela. A bola é desde sempre uma atração à qual não podemos fazer a menos. A histórica Supersantos para esta ocasião, graças a uma tinta especial, vira um verdadeiro magneto com a capacidade de atrair pequenas e grandes comunidades representadas por inúmeros imãs.

5. STOLINHO    
Paolo Cappello           
Stolinho é um banco de madeira que usa a bola SuperSantos como assento, propondo um uso alternativo e prático. Do jogo de futebol a bola vira um objeto/sujeito de decoração, mantendo a sua própria força semântica e irônica em um produto econômico e funcional, também reinterpretando um tipo de assento conhecido de maneira alternativa.

6. SUPERLATER
Sara Ferrari
Superlater é uma série de etiquetas que aconselham a maneira para reciclar uma bola Super Santos furada. Em cada etiqueta é mostrado um projeto, com as instruções correspondentes de como realizá-lo. Cada etiqueta é vendida junto com uma bola e todas as vezes que compramos um "projeto" diferentes, basta prestar atenção na nova edição. Na verdade, Superlater é uma lembrança das figurinhas dos álbuns de futebol que colecionávamos antigamente. A série nasceu 
com três idéias: um centro de mesa/porta-frutas, um cofrinho e um abajur.

7. AVVITAMI
Brian Sironi
Avvitami tem as origens na lembrança de um truque secreto que os jogadores mais experientes ensinavam aos mais novos  Para encher a bola era necessário remover a tampa, quem tentava fazer tal operação como se fosse uma válvula, terminava por empurrá-lo para dentro da bola. O truque consistia em apertar um parafuso à tampa de plástico, para removê-lo puxando com força e então encher a bola. Na verdade o segredo era criar "um gancho" e daqui nasce a idéia de pendurar a bola em uma bolsa-mochila para carregá-los conosco. Avvitami é uma verdadeira extensão da bola que cada um pode fazer com pedaços facilmente disponíveis no mercado.

8. FUORI REGISTRO
Matteo Zorzenoni
"Fuori Registro" nasce da idéia de exagerar um "defeito" de produção do Super Santos unindo-o a uma elaboração artesanal típica da minha terra, o vidro soprado. Desde sempre percebi que a gráfica impressa nunca correspondia às decorações gravadas na superfície, então criei uma bola de vidro de alguns centímetros maior do que a bola, que recria a gráfica com uma cor transparente. Dessa maneira criamos um filtro cromática que dá vida a novas texturas de linhas, de cheios e de vazios que transformam o desalinhamento gráfico de defeito a qualidade.

9. SOFFIATO IN ITALIA
Federico Angi
As inconfundíveis linhas pretas que caracterizam a bola de borracha Super Santos (com o esquema de linhas em pele das velhas bolas de futebol) e que marcaram o seu sucesso, nesse projeto são exaltadas; dando assim vida a uma preciosa decoração para esta superfície.  A esfera de vidro soprada com a boca e revestido de areia é uma homenagem à tradição artesã tipicamente italiana.

10. BANDA
Zaven
A bola e o jogo de futebol são símbolos de competição, mas também de união e troca; todos lembramos de belos momentos vividos com amigos jogando ou assistindo uma partida, principalmente durante a Copa do Mundo, onde todos os países se unem para torcer pela própria seleção e muito mais. Banda,  exalta essa união, simbolicamente envolvendo a bola com um material auto-enrijecedor, normalmente usado como medicamento para as fraturas. 
Convidamos a colocar a assinatura como um sinal de compartilhamento.

11. ARIAPERTA 
Vittorio Venezia           
Naquelas eternas partidas de futebol que pareciam nunca mais terminar, me lembro da Super Santos marcar com cada gol a passagem do tempo, com o seu inconfundível barulho de metal nas portas. Este barulho reunia em si alegria e tristeza: não representa somente o barilho do gol, mas muito provavelmente também a raiva dos vizinhos que logo ameaçavam furar a tão adorada bola de futebol. Tentei então projetar uma esfera impossível de ser furada, uma estrutura elástica externa que jamais perca a própria forma, inspirada pelas linhas que caracterizam a Super Santos. Há dois modelos: o primeiro em protótipo rápido e o segundo em folhas de propileno e olhais.



















SERVIÇO
FESTIVAL ECONOMIA CRIATIVA
Dias 05, 06 e 07 de novembro
Das 14hs às 20hs
Pavilhão da Bienal
Inscrições gratuitas no link:
http://www.festivaleconomiacriativa.com.br/registrati.php

Por: Emanuella Minari
Fotos: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário