quinta-feira, 6 de junho de 2013

Necessidade de investimento em infraestrutura é destacado na abertura da Construction Expo 2013


O Brasil precisa, urgentemente, trocar o vetor do consumo pelo dos investimentos públicos e privados, com ênfase nas áreas de infraestrutura para crescer e gerar empregos. Com esse recado, foi aberta nesta quarta-feira, a Construction Expo 2013 - 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. "Há um consenso na sociedade que a elevação do volume de investimentos em infraestrutura, tanto públicos como privados, é o principal instrumento para os ganhos de competitividade que tanto necessitamos para acelerar o crescimento do PIB", afirmou Afonso Mamede, presidente da Sobratema - Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, organizadora da feira.



Em seu discurso para uma plateia de aproximadamente 250 pessoas, formada em sua maioria por autoridades federais, estaduais e municipais, além de representantes das 135 entidades ligadas à construção civil, que apoiam o evento, Mamede destacou a importância da construção civil para a economia do Pais. "Todos os setores da economia demandam produtos da construção. Em razão disso, o setor é um dos principais componentes do investimento do país. Além disso, estudos da LCA Consultoria e do IBGE apontam que para cada R$ 1,00 aplicado na construção, são gerados R$ 1,88 na economia como um todo, bem como a cada R$ 1 milhão produzidos na construção gera 70 empregos na economia", afirmou.

Fora esses dados, o presidente da Sobratema lembrou ainda que o setor da construção civil é o quarto maior gerador de empregos do País, tendo alcançado em 2010 a marca de 11,3 milhões de pessoal ocupado na cadeia da construção.

Julio Semeghini, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo, participou da solenidade de abertura, enfatizando os investimentos no setor e a importância de eventos como a Construction Expo 2013. “Este ano os investimentos  em obras  nas áreas de transporte, logística, hidrovias, aeroportos, saneamento e habitação, entre outros, estão orçados em R$ 80 bilhões; somente no  Estado de São Paulo elas somam R$ 24 bilhões. O Estado tem  ainda o compromisso de atingir 100% o saneamento de água e esgoto até 2017. Daí a importância de um evento como a Construction 2013 para apontar os caminhos que o governo deverá avançar”, afirmou.

Já para o presidente da Sobratema, o papel da entidade é o de propor caminhos e soluções para o desenvolvimento tecnológico do setor, difundir conhecimentos e informações do mercado e participar da formação, especialização e atualização de profissionais que atuam nas áreas da construção e mineração, ganha ainda mais relevância. "Acreditamos e nos dedicamos firmemente ao desenvolvimento tecnológico do setor da construção e da mineração, como forma de fortalecer a engenharia nacional. E a Construction Expo está inserida neste contexto, com uma proposta clara de "Integração", tendo como formato expositivo a horizontalidade, ou seja, abrangendo todos os segmentos e com uma periodicidade trienal", concluiu Mamede.

A Construction Expo 2013 acontecerá até o próximo sábado, dia 8, no Centro de Exposições Imigrantes. Paralelamente, está sendo promovido o Construction Congresso - Edificações e Obras de Infraestrutura, constituído por 31 seminários e um curso, proferidos por especialistas ligados às áreas que compõem toda a cadeia da construção e reúne diversos especialistas.

Sobratema registra número recorde na Construction Expo 2013

Com 332 estandes distribuídos em 46 mil m2 de área de exposição,  sendo 73 estandes internacionais de 15 países, a Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura registra 135 entidades dos segmentos envolvidos apoiando o evento, além de mais 10 entidades internacionais “Esses números são recorde”, apontou Afonso Mamede, presidente da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, na coletiva de abertura do evento, na quarta-feira (5), no Centro de Exposições Imigrantes, São Paulo.

No momento há 8.500 projetos e obras em andamento no Brasil , distribuídas da seguinte forma: 46% do setor de óleo e gás, 25% transporte, 14% energia, 10% indústria, 2% saneamento, 2% infraestrutura esportiva e 1% em infraestrutura. “Até 2017, o volume de instimentos é de R$ 1,6 trilhão em obras em execução, planejadas e com intenção de realização. Deste valor R$ 423 bilhão referem-se as obras já encerradas”, informou Mário Humberto Marques, vice presidente da Sobratema. Só para se ter ideia da representatividade do mercado brasileiro de máquinas e equipamentos, na oportunidade foi citado que o País detém 60% do total  (máquinas/equipamentos) dentre os países da América do Sul.

Também o Construction Congresso registra um número recorde de inscrições este ano: duas mil. O evento conta com a participação de 22 entidades setoriais.

A importância dos estudos não destrutivos

O engenheiro Antonio Luís de Oliveira Aulicino, gerente de Relações Institucionais da Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi), em sua participação no Construction Congresso, que vai de hoje (5) até o dia 7 de junho, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, destacou a importância dos estudos não destrutivos (END) e a sua presença marcante nos mais diversos setores e no dia a dia das pessoas. Entre os principais END, destacam-se o visual, ultrassom (inclusive em 3D), líquidos penetrantes, partículas magnéticas e análise dimensional. São testes que verificam as condições físicas e de funcionamento de equipamentos, componentes e estruturas sem comprometer sua integridade (não destrutivos, portanto).

A Abendi, segundo ele, é uma entidade com 24 anos de funcionamento, que é reconhecida nacional e internacionalmente. Possui cerca de 5 mil profissionais associados e 200 empresas. Contribui para a formação e treinamento de pessoal (através de cursos regulares, especiais e customizados), definição de normas técnicas de ensaios e publicação de diversos veículos e livros técnicos. Em 2012, foram desenvolvidos 200 cursos, envolvendo a participação de mais de 2 mil pessoas.

Por intermédio de diversos comitês técnicos de normalização e certificação, a entidade já estabeleceu 100 normas técnicas que são respeitadas no Brasil e no Mercosul.


Aço pode  contribuir para  a sustentabilidade do planeta

“Sustentabilidade do aço na construção civil” foi o tema da palestra ministrada por Lucila Maria Teixeira Caselato e Cassius Cleber Cerqueira , ambos do Instituto Aço Brasil. Na primeira parte da apresentação, Lucila destacou a sustentabilidade dentro do  processo produtivo e a fase sustentável do produto, de modo contribuir para a sustentabilidade do planeta. “A indústria do aço é consumidora de insumos e energia e, por isso, gera possíveis impactos ao ambiente. Com as novas tendências mundiais, essa indústria vem se adequando a fim de reduzir esses impactos, através do uso de tecnologias limpas e de conceitos de sustentabilidade”, discorreu Priscila.  “Quase todas as indústrias estão certificadas dentro parque produtor nacional”, completou.

Cerqueira  enfatizou as estruturas dos centros geridos pelo Instituto Aço Brasil: o CBCA, CCA Brasil e o CB28, além da reciclagem do aço e seus resíduos e co-produtos. Dentre as novidades nos centros, o palestrante divulgou  que no CCA Brasil está sendo desenvolvido o açobrita, produto à base de resíduos para substituir ou trabalhar em conjunto com a brita.

SDLG reforça operação no Brasil e inicia produção local de escavadeiras

A SDLG Latin America anunciou na Construction Expo 2013, durante coletiva de imprensa, que iniciará a produção local de escavadeiras, em agosto de 2013. A iniciativa trará uma série de benefícios aos clientes e aumentará a competitividade da marca, já que será possível reduzir os prazos de entrega, acelerar o abastecimento da rede de distribuição e oferecer acesso a melhores condições de financiamento, como o Finame.

A perspectiva para este ano é de alavancar o crescimento da empresa no Brasil através da produção local da linha de escavadeiras. A SDLG ainda está avaliando a comercialização de  novos equipamentos na América Latina.

Os visitantes da feira podem conhecer a escavadeira LG6150E. O equipamento tem peso operacional de 13,8 toneladas, motor de quatro cilindros de 93 hp (69 kw) e caçamba com capacidade de 0.52 m³ - 0,75 m³. Versáteis, as escavadeiras SDLG são adequadas para uso em vários tipos de solo e na escavação de materiais diversos como terra, areia e cascalho, abertura de valas e também no carregamento de caminhões.

Serviço:
Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura
Data: 5 a 8 de junho de 2013
Horário 5 a 7/6: 13h às 20h
Horário 8/6: 9h às 17h
Local: Centro de Exposições Imigrantes - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – Água Funda – São Paulo/SP
Site oficial: http://www.constructionexpo.com.br/

Por: Emanuella Minari
Fonte: Sobratema

Florianópolis sediará a V Bienal Brasileira de Design

    A cidade de Florianópolis foi escolhida para sediar o maior evento de design do Brasil – a V Bienal Brasileira de Design, em maio de 2015. O anúncio oficial será feito nesta quinta-feira (13), na sede da FIESC, na presença do representante da Apex Brasil, Marco Aurélio Lobo, do governador Raimundo Colombo. Estarão presentes também o Secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Paulo Bornhausen, o Prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior, e o presidente da FIESC, Glauco José Côrte.

    Com o tema “Design For All” (design para todos), a V Bienal Brasileira de Design promoverá em Florianópolis exposições nacionais e internacionais, seminários, workshops e instalações. Outras cidades do Estado, como Blumenau, Joinville, Criciúma, Chapecó, Itajaí e Lages, receberão eventos pré-Bienal, com mostras de design nacional.

     Patrocinada pela Apex Brasil, apoiada pela Fiesc e promovida pela SC Design, a V Bienal será inspirada no Salão de Milão, tradicional evento do setor que atrai milhares de turistas, empresários e designers à cidade italiana, onde é possível conferir as tendências mundiais em design.

    A edição que está sendo preparada para 2015 vai deixar sua marca em Santa Catarina, aposta a presidente da SC Design. “O design, catarinense, nacional e internacional, será mostrado na sua essência, como uma atividade sustentável de desenvolvimento econômico, social e ambiental. Ele agrega valor aos produtos industriais, garantindo diferenciação e ganhos de competitividade”, diz a designer Roselie Lemos, que vê no evento um estímulo para os negócios.

    A escolha de Santa Catarina não foi por acaso. O Estado tem o quarto maior parque industrial de transformação do País em quantidade de empresas – ou seja, campo fértil para o design. Os dados fazem parte do material elaborado pela SC Design, com o apoio do Sistema FIESC e do Governo do Estado, e que foi apresentado ao Comitê Estratégico de Organização da Bienal (COEB), por ocasião da candidatura formal de Florianópolis como cidade-sede da Bienal em 2015.

    Junto ao anúncio desta quinta-feira, será lançado pela SC Design o concurso nacional para a escolha da identidade visual da edição em Santa Catarina. O evento na FIESC marca também o início de uma série de ações que vão fazer com que o Estado já entre no clima da Bienal. Uma exposição de produtos com design genuinamente catarinense vai percorrer o Estado a partir da próxima semana.

A Bienal

A BBD concentra as principais realizações da área cultural e do setor produtivo de empresas, aponta tendências, provoca discussões, propicia a capacitação e promove a Marca Brasil com o melhor da produção de design nacional no período.

Desde a primeira edição na capital paulista, em 2006, o evento vem ganhando expressividade. Em 8 mil metros quadrados no Parque Ibirapuera, a primeira edição reuniu 35 mil visitantes, que puderam conhecer 600 produtos. O número de produtos expostos dobrou em 2008, em Brasília, onde a mostra atraiu 40 mil visitantes.

Em 2010, em Curitiba, a Bienal contou com nove mostras espalhadas por seis espaços, que incluíram pavilhões de exposição e parques e teve como temática central “Design, Inovação e Sustentabilidade”. Em 2012, foi realizada em Belo Horizonte, com o tema “Diversidade Brasileira”. Uma decisão estratégica definiu que a quinta edição ocorreria em 2015, em razão das eleições gerais que vão mobilizar o País em 2014.

SERVIÇO

O quê – Anúncio oficial de Florianópolis como sede da V Bienal Brasileira de Design

Onde – Auditório da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC)

Quando – 13 de junho

Hora – 14h (Apresentação para as Universidades); 19h (Solenidade e Coquetel)

Fonte: Design Brasil

Mostra do Museu da Casa Brasileira sobre reaproveitamento criativo de resíduos tem segunda etapa na Holanda



My waste is y our Waste é o título da exposição que acontece no MOTI - Museu da Imagem, de Breda

Visitação: até 1º de setembro de 2013

O MOTI - Museu da Imagem, em Breda, na Holanda, inaugurou no sábado, 18 de maio, a exposição "My Waste Is Your Waste", segunda etapa do projeto realizado em parceria com o Museu da Casa Brasileira (MCB), instituição da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. A mostra, apresentada no MCB em novembro de 2012 com o título "Re-design: brasileiros e holandeses experimentam descartes", é o resultado de uma colaboração experimental entre artistas, designers e arquitetos de ambos os países com o objetivo de investigar o potencial de resíduos como materiais construtivos e criativos.

Os representantes brasileiros Rodrigo Bueno, artista visual, Thiago Bender, artista urbano, e Christian Ullmann, designer argentino radicado no Brasil, se juntaram aos holandeses Jan Eric Visser, Klaas Kuiken e ao coletivo Refunc durante uma semana no MOTI, em Breda, com o desafio de trabalhar aproveitando descartes. O processo de criação e montagem da mostra foi registrado em tempo real e está disponível no site do museu, na seção "Live Atelier": www.motimuseum.com.

As exposições visam colocar em pauta o problema do lixo no mundo e refletir a respeito dos processos criativos que utilizam descartes. Para alguns designers, trabalhar com esse tipo de material é uma necessidade; para outros, uma escolha. Durante a abertura no sábado 18 de maio houve um debate aberto ao público entre os artistas e especialistas no assunto convidados para a ocasião. Eles compartilharam pontos de vista e opiniões acerca de questões como: "O lixo poderia se tornar o novo ouro? Estamos conscientes do que jogamos fora? Precisamos dos resíduos para sobreviver?".

Sobre o projeto
"Re-design: brasileiros e holandeses experimentam descartes" e "My Waste Is Your Waste" integram um projeto de intercâmbio e exposições que visam investigar e mostrar o potencial dos resíduos sólidos como materiais construtivos e criativos. Parceria entre o Museu da Casa Brasileira e o MOTI - Museu da Imagem, de Breda (Holanda), o projeto conta com a participação de designers, arquitetos e artistas brasileiros e holandeses.

Sobre o MOTI - Museu da Imagem
Situado em um dos prédios mais antigos de Breda, na Holanda, o MOTI - Museu da Imagem é um centro de referência em cultura visual criado em 2008. Focado em áreas como design, fotografia, artes visuais, arquitetura e ciências, o MOTI oferece um centro de pesquisa aberto ao público leigo e especializado sobre o design gráfico (Museumlab); oficinas educativas, palestras, apresentações e eventos, além de exposições temporárias sobre seus temas de vocação.

Sobre o Museu da Casa Brasileira
O Museu da Casa Brasileira se dedica às questões da cultura material da casa brasileira. É o único do país especializado em design e arquitetura, tendo se tornado uma referência nacional e internacional nesses temas. Dentre suas inúmeras iniciativas destaca-se o Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, realizado desde 1986, e que comemora em 2013 sua 27ª edição.

SERVIÇO:

My Waste Is Your Waste
Visitação: até 1º de setembro de 2013

Local: MOTI - Museum of the Image
Boschstraat 22 - 4811 GH BREDA
www.motimuseum.nl
Informações para a imprensa - Museu da Casa Brasileira
Filipe Bezerra - Coordenador de comunicação | comunicacao@mcb.org.br
Andrea Polimeno - Assist. de comunicação | assistcomunicacao@mcb.org.br
Izabelle Prado - Assistente de comunicação | assist2comunicacao@mcb.org.br

Informações para a imprensa - Secretaria de Estado da Cultura
Giulianna Correia - (11) 2627-8243 gcorreia@sp.gov.br
Renata Beltrão - (11) 2627-8164  rmbeltrao@sp.gov.br

segunda-feira, 3 de junho de 2013

SKY PLANTER CHEGA AS UNIDADES SHOPPING GRADEN

    O Shopping Garden, referência no mercado de paisagismo e decoração, e conhecido também por seu varejo de plantas e variedade de afins de jardim, recebe mais uma novidade em suas unidades, o sky planter. O vaso diferente para jardim que fica suspenso exibe uma nova maneira de cultivo de plantas, que vai desde os mais inusitados espaços dentro de casa ou escritório para a exposição da espécie até a sua rega inteligente.


    Apesar de a planta estar posicionada de maneira diferente ao convencional, a terra existente não cai, devido a um disco que se encaixa em torno do caule da planta para fechar o vaso, e uma rede de plástico que também está inclusa e pode ser cortada para ser colocada em torno do caule da planta, como uma proteção adicional. Ao ser pendurado pela primeira vez, o sky planter pode deixar escapar um pouco de terra, mas estabiliza rapidamente.
    Para a rega, outra novidade, um reservatório de cerâmica porosa está no topo do vaso e se conecta com a terra. A água deve ser colocada por meio de um pequeno buraco no topo do vaso, sendo gradualmente liberada de acordo com a necessidade da planta, atingindo as raízes diretamente e reduzindo a evaporação. Quanto mais água absorvida pela planta, mais rápido a água flui do reservatório para a terra e mais frequente o reservado terá de ser cheio.
     O sky planter suporta uma grande variedade de plantas comuns. Para obter purificação do ar são recomendadas as espécies; palmeiras Kentia e Areca, o Antúrio, a Hera Inglesa, o Lírio e a planta borracheira. Na cozinha pode-se cultivar uma hortinha com temperos e até vegetais. A escolha da planta deve considerar a saúde de cada uma delas, algumas precisam de luz, enquanto outras precisam de sombra. Também é importante verificar se o teto é resistente e está livre de perigos e não pendurar o sky planter acima de equipamentos elétricos ou mobílias em caso de sobrecarga ou pinga ocasional.





Preços:
Pequeno R$161,80
Grande: R$ 204,95

Sobre o Shopping Garden:
Referência no mercado de paisagismo e decoração, o Shopping Garden foi um dos primeiros estabelecimentos em São Paulo a unir em um só endereço material para jardinagem e para decoração de espaços externos com serviços especiais, como manutenção de jardins (privados, de condomínios ou de empresas), paisagismo e montagem de arranjos florais, entre outros.
Com a filosofia de promover qualidade de vida por meio do contato com o meio ambiente, o Shopping Garden transformou a missão de comprar insumos para jardim em uma experiência única. Nas duas unidades da rede, no Tatuapé e na Avenida dos Bandeirantes, é possível encontrar mais de três mil espécies de plantas, flores e árvores e mais de 25 mil produtos relacionados ao assunto, de ferramentas, vasos e adubo até itens de decoração como móveis e fontes. Além de móveis para jardim, ombrelones e objetos diversos, tanto para as áreas externas quanto para locais cobertos, como gazebos e terraços.
O Shopping Garden possui um departamento de paisagismo que cuida do desenvolvimento e da implantação de projetos paisagísticos, sempre levando em conta o perfil de cada cliente.
Na compra do projeto mais a implantação, o cliente ganha 50% no projeto.
Shopping Garden
Tatuapé: Av. Salim Farah Maluf, 2.211. Tel. (11) 2227-8500
Sul: Av. dos Bandeirantes, 5.900. Tel. (11) 5591-5555
Site: http://www.flor.com.br | Facebook: /ShoppingGarden | Twitter: @ShoppingGarden

Por: Emanuella Minari
Fonte: KRP

Construction Expo 2013 começa nessa semana

   

    Começa na quarta-feira, dia 5 de junho, no Centro de Exposições Imigrantes, a maior feira de novidades tecnológicas para a construção, a Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura.

    A exposição é inovadora por contar com Salões das Grandes Construções, que irão apresentar os desafios, as soluções e diversas fases de importantes e grandiosas obras que estão sendo contruídas pelo País. São eles: Arena Corinthians, Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro, Porto Maravilha, Prosub.

   Todos os espaços exclusivos foram planejados para proporcionar o máximo de interatividade com os visitantes, por meio do uso dos mais modernos recursos audiovisuais e tecnológicos, objetivando aproximá-los das obras expostas e dos sistemas construtivos. Os Salões da Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro e do Porto Maravilha, por exemplo, terão um recurso de maquete eletrônica para que os visitantes possam conhecer os projetos e a obra. Já a Arena Corinthians apresentará sua sequência construtiva.

    Além dos Salões das Grandes Construções, ainda haverá os Salões dos Sistemas Construtivos, que mostrarão o desenvolvimento tecnológico e os benefícios de novos métodos construtivos utilizados nas construções em todo o Brasil. São eles: Construção Industrializada do Concreto, Construção Seca e Rental.    O Salão da Construção Seca, por exemplo, terá uma casa popular montada em estrutura Steel Frame, placas cimentíceas e drywall. A feira vai reunir mais de 330 expositores, de 15 países, que apresentarão lançamentos a um público esperado de 25 mil profissionais do setor.

Serviço:
Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura
Data: 5 a 8 de junho de 2013
Horário 5 a 7/6: 13h às 20h
Horário 8/6: 9h às 17h
Local: Centro de Exposições Imigrantes - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 – Água Funda – São Paulo/SP
Credenciamento e mais informações: http://www.constructionexpo.com.br/

Por: Emanuella Minari
Fonte: Sobratema

Lepri chega à Alameda Gabriel Monteiro da Silva

    A Alameda mais famosa em design e decoração de São Paulo, a Gabriel Monteiro da Silva, vai ganhar uma nova marca de peso: a Lepri - Finas Cerâmicas Rústicas, empresa especializada em pisos e revestimentos e pioneira na fabricação de cerâmicas sustentáveis.


    Com inauguração prevista para maio, o showroom da Lepri (o segundo da empresa, que já está no D&D Shopping, em São Paulo, há 17 anos) terá 130 m2, espaço maior para atender à crescente demanda de seus clientes e dos profissionais de arquitetura e decoração e para expor a enorme gama de produtos da empresa, que permitem uma decoração inusitada em pisos e paredes, o que resulta na criação de espaços exclusivos, que proporcionam aconchego e bem-estar, sem deixar a preocupação com o meio ambiente de lado.
   “A ideia da expansão da Lepri na capital foi fruto de pesquisa para atender mais prontamente e com maior facilidade os clientes finais e os profissionais de arquitetura e decoração, que procuram um atendimento personalizado e próximo do seu dia a dia. Como o corredor da Gabriel Monteiro da Silva já recebe este público, o cliente agora encontrará novidades na área de revestimentos rústicos finos na mesma rua, que já é um shopping especialíssimo a céu aberto”, constata José Lepri, proprietário da empresa.
    A Lepri é pioneira na produção de pisos e revestimentos cerâmicos sustentáveis, processo que teve início em 2005 com a linha Eco Mediterrânea, quando a empresa passou a reutilizar vidros de lâmpadas fluorescentes reciclados na fabricação de seus produtos.
    A ideia de reutilizar o vidro da lâmpada fluorescente surgiu a partir da necessidade de se fazer o descarte correto deste material, que se deixado na natureza, demoraria mais de 200 anos para ser absorvido. Além disso, as lâmpadas contêm mercúrio metálico em sua composição, que contamina radicalmente o solo e os seres vivos. Inicialmente, os vidros eram utilizados somente na fabricação do esmalte dos produtos, mas, a partir de 2007, com o lançamento da linha Ecopastilhas, a Lepri também passou a utilizar esses materiais na produção da massa. Com essa inovação, a empresa conseguiu reduzir a temperatura de queima dos produtos, resultando na diminuição de emissão de poluentes.
     Em 2011, tornou-se membro do Green Building Council, uma ONG que busca promover a indústria de construção sustentável no Brasil. No ano seguinte, a empresa passou a reciclar vidros de telas de TVs e monitores de computadores, que passaram a ser utilizados na produção de pisos e revestimentos, colaborando com a redução do lixo eletrônico, que, devido à rápida evolução tecnológica, tem crescido no mundo todo. Este ano, resíduos da produção de louças da Deca, como sobras de argila, também foram incluídos neste processo. Hoje, 99% das linhas são fabricadas com materiais descartados.

Lepri Finas Cerâmicas Rústicas 

NOVO SHOWROOM
Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 1.064 – Jardim Paulistano – São Paulo - SP
Tel.: (11) 3789-5050

D&D Shopping - Avenida das Nações Unidas, 12.555 – Loja 207 – Piso Térreo – Brooklin Novo - São Paulo - SP
Tel.: (11) 5506-1390

Site: www.lepri.com.br

Por : Emanuella Minari
Fonte: Tacla Comunicação