quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Saiba o que rolou na Feira Made Expo – Milano Architettura Design Edilizia

    O pavilhão da feira, é patrimônio cultural e importante centro de negócios da cidade de Milão. Em si, já é um elemento surpresa do ponto de vista arquitetônico, pela gigantesca composição sinuosa de estrutura metálica e triângulos de vidro que cobre a chegada e se desenvolve como elemento de ligação para 345.000 metros quadrados de áreas cobertas distribuídas em oito pavilhões de exposição. A composição da cobertura contrasta força com leveza e transparência vindo de grandes alturas ao chão por um longo percurso. O conjunto provido de 14.000 vagas de estacionamento e chegada por linha de metrô também oferece o conforto na diversidade de restaurantes para agradar variadas nacionalidades de visitantes e expositores.
    Na semana da feira o pavilhão e a exposição estiveram no centro do mundo da arquitetura, design, economia de energia e construção. Muitas empresas do setor presentes como expositores e seus volumes importantes e o tamanho das suas explorações e sua posição. Espaços ao ar livre, conjuntos ou sozinhos, pérgulas, têxtil, automação e motores, equipamentos e máquinas, técnicos e cortinas decorativas e a tendência interno e design estavam presentes no evento oferecendo um mundo de pesquisa, produtos, soluções para proteção solar, o conforto dos nossos edifícios e espaço ao ar livre.
    A preocupação com os eco sistemas mostrando a busca pela captura e uso de matéria prima controlada associada a processos e sistemas menos poluentes, usos reaproveitáveis, economia de energia permearam a mostra e os assuntos em pauta discutidos, inclusive iniciativas de diminuir impostos para as edificações envolvendo selos de qualidade, segurança e principalmente economia de energia.
    Nesse grande caldeirão de diversidade de assuntos, inovação, cores e formas, ferviam novas maneiras de fazer,  e usar, temperado com o desenvolvimento da ciência e tecnologia. De repente se podia deparar com uma porção de gente passando a mão no fogo de uma lareira sem se queimar! Visão de fogo, com chama na temperatura ambiente e elemento de combustão: água!!!

Veja algumas imagens da feira abaixo , mais imagens acesse: http://www.flickr.com/photos/federlegno/sets/







Por: Claudia Bellas
Imagens: Federlegno

Arquiteto canadense Graham Hill, o criador do “apartamento do futuro”, ministra palestra na Anhembi Morumbi

    Aclamado pelo jornal New York Times como o criador do “apartamento do futuro”, o arquiteto canadense Graham Hill palestrará na Anhembi Morumbi, integrante da rede internacional de universidades Laureate, no dia 6 de novembro (quarta-feira), às 18h30, no câmpus Vila Olímpia. Ele falará sobre como é possível viver bem em apartamentos compactos, uma tendência mundial.
    Em 2009, Graham comprou um apartamento de 39 m² e desenvolveu um projeto denominado pelo jornal nova-iorquino como “apartamento do futuro” por conter móveis totalmente adaptados para ocupar pouco espaço ou serem “guardados” quando não estão sendo utilizados. A cama é embutida na parede, a mesa se expande quando há muitos convidados, um armário-parede se move e abre espaço para um quarto com beliche. Essa flexibilidade permite ao imóvel ter a funcionalidade de um apartamento de 90 m².
    Para expandir o conceito de microapartamentos inteligentes no mercado, o arquiteto canadense fundou a empresa Life Edited, que fornece consultoria para construtoras que investem na construção de imóveis com esta tipologia. Caso da Vitacon, que traz a proposta do projeto inédito para o Brasil.
    Para assistir a palestra é necessário ter boa compreensão da língua inglesa. Os interessados devem se inscrever pelo e-mail eventos@anehmbi.br, com dados de contato (nome completo, e-mail e telefone).

Serviço:
Como viver melhor em São Paulo com Graham Hill
Datas: 6 de novembro (quarta-feira)
Horário: a partir das 18h30
Local: Auditório do Câmpus Vila Olímpia (Rua Casa do Ator, 275)

Graham Hill 
Por: Emanuella Minari

Deca participa da exposição Novos Talentos do Design

     Líder no mercado de louças e metais sanitários, a Deca apoia a exposição Novos Talentos do Design, provida pela Revista Casa Vogue. O coquetel de abertura da mostra acontece no dia 31 de outubro, na FAAP, a partir da 18h, apenas para convidados. O evento também celebra o lançamento da edição de novembro da revista.
     A primeira edição da exposição reúne 11 peças desenvolvidas por alunos de arquitetura e design da FAAP, que foram selecionados por um rigoroso júri formado por Claudia Moreira Salles, Marcelo Rosenbaum, Marco Aurelio Lobo Junior e Taissa Buescu, diretora de redação da revista e idealizadora do evento.
      Com o intuito de aproximar os estudantes da realidade do mercado, a Deca patrocina a exposição Novos Talentos do Design e incentiva o alunos engajados neste importante projeto. A mostra abre as portas ao público no dia 1º de novembro e vai até a 15 de dezembro de 2013, das 18h às 22h, no mezanino do Museu da FAAP.


Por: Emanuella Minari

Red Bull Station abre suas portas ao público no dia 1º de novembro

   Prédio de 1926, onde funcionava a antiga sede de distribuição de luz da Eletropaulo, passa a abastecer a cidade com energia criativa. Com foco em projetos experimentais de artes e música, o Red Bull Station abre suas portas ao público dia 1º de novembro com um projeto de residência artística permanente, espaço expositivo, estúdio de música e uma cafeteria
   A partir de 01 de novembro, o centro da cidade ganha um impulso extra para o desenvolvimento das artes, da música e das pessoas. O espaço terá acesso gratuito e integra diferentes expressões artísticas, que se misturam em tempo real num ambiente que permite a troca contínua entre artistas e as pessoas que estiverem por lá.
   Localizado na Praça da Bandeira, o Red Bull Station ocupa a antiga sub estação Riachuelo, desativada desde 2004. O prédio foi construído nos anos 20 e tombado desde 2002 pelo Conpresp, Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo. Após uma longa reforma para adaptação ao novo uso do espaço e restauro, o espaço conta agora com cinco andares.

Principais atividades

    Os projetos têm como ponto em comum a valorização do processo e a experimentação, como a residência artística focada em artes visuais, com curadoria de Paula Borghi.  Os participantes trabalharão em ateliês individuais, onde originalmente funcionavam as salas de transformadores de energia, e poderão experimentar suas obras no espaço expositivo chamado de Galeria Transitória. A primeira residência artística acontecerá de outubro a dezembro deste ano, e uma segunda temporada está prevista para ser realizada entre fevereiro e abril de 2014. Com foco no desenvolvimento de artistas, ocorrerão palestras e workshops com curadores, artistas, produtores e pesquisadores com foco em arte e música.
    O prédio ainda abrigará um estúdio de música, o Red Bull Studio, um projeto internacional presente em Nova York, Los Angeles, Madri, Cidade do Cabo, Copenhague, Auckland, Londres, Amsterdã e Paris. O estúdio se coloca como um espaço de experimentação e produção musical para artistas, e receberá gravação de programas especiais para a web, além de workshops ministrado por grandes nomes da música nacional e internacional.

O edifício

    Só a fachada da antiga subestação Riachuelo, construída em 1926, foi protegida no tombamento do edifício pelo Conpresp em 2002. Mas a reforma vai aproveitar a arquitetura antiga mesmo na parte interna.
    O escritório Triptyque, que assina o projeto de arquitetura e reforma, e supervisionou o projeto de restauro do prédio, é responsável por intervenções contemporâneas - como as escadas externas e a marquise da cobertura, que vai criar um novo ambiente no topo do prédio, com vista para o centro da cidade. A reforma também restaura e reativa um antigo chafariz que fica no topo do edifício.
    A Lock Engenharia é o escritório responsável pela execução e coordenação da obra civil.

Curiosidades sobre o espaço e sua revitalização:

A área total do Red Bull Station é aproximadamente 2.150m2;

O espaço está dividido em cinco níveis: porão (subsolo), térreo, mezanino, piso superior e laje (cobertura);

O porão abriga um espaço expositivo, camarin, lounge e área livre para ensaios;

O estúdio de música (Red Bull Studio) fica no térreo, assim como o café, espaço expositivo principal e um lounge;

O mezanino é ocupado por escritórios e parte técnica;

    No andar superior estão os ateliês dos integrantes da residência artística e a Galeria Transitória – onde os artistas poderão testar seus trabalhos antes de descerem para a galeria principal – além de salas para workshops e palestras;
    A cobertura, com vista para a Praça da Bandeira, será uma grande área de convivência, protegida por uma marquise metálica que terá a função de recolher a água da chuva para reuso.
   A bomba de água original da sala de máquinas foi integrada à decoração do restaurante que funcionará no local.
   O restauro completo da fachada será finalizado em janeiro de 2014.
   Esta é a primeira vez que a Red Bull tem um espaço de experimentação cultural em caráter permanente em todo o mundo.

Programação: Os destaques da primeira semana do Red Bull Station

Exposição Red Bull House of Art: Coletânea que reúne os trabalhos desenvolvidos pelos 24 artistas que passaram pela residência artística nos anos de 2009, 2010 e 2011. Na época o projeto teve como endereço o Edifício Sampaio Moreira no centro de São Paulo. Nomes como Sofia Borges e Flávia Junqueira estão entre os que passaram pela residência. A exposição abre as atividades da temporada 2013/2014, que passa a ter como endereço fixo o Red Bull Station. Instalações, vídeo instalações, pintura e fotografia fazem parte da exposição.
Quando: de 01 de novembro a 23 de novembro de 2013
Horário: terça a sábado, das 11h às 21h
Entrada franca

Residência artística no Red Bull Station: Paralela à exposição do Red Bull House of Art, é possível acompanhar a residência artística em curso que acontece no prédio. O projeto reúne seis artistas e ocupa o piso superior do edifício, onde ficam os ateliês e um espaço conhecido como Galeria Transitória - onde os artistas podem tanto desenvolver seus trabalhos como observar de que forma cada obra conversa com os demais projetos e com o ambiente. Artistas participantes: Ale Domingues, Chico Togni, Fabiana Faleiros, Raquel Uendi, Rodolpho Parigi e Thiago Honório. Curadoria de Paula Borghi.

SERVIÇO:
Quando: 01 de novembro a 06 de dezembro de 2013
Horário: terça a sábado, das 11h às 21h
* Os ateliês dos artistas e a galeria transitória estão abertas à visitação e acontecerão somente com acompanhamento dos monitores.
Entrada franca
Exposição final da residência – temporada 2013:
A partir de 07 de dezembro de 2013
Red Bull Station
Praça da Bandeira, 137. Centro, São Paulo, SP.



Por: Emanuella Minari

Construtoras adéquam edifícios para atender aos idosos

    A população idosa está aumentando rapidamente no Brasil. O número de pessoas que possuem dificuldade de locomoção também é alto. Para atender melhor essa parcela da população, construtoras oferecem imóveis adaptados, facilitando, assim, o deslocamento dessas pessoas
    Os brasileiros estão envelhecendo. Essa constatação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o órgão, atualmente, cerca de 10% da população, cerca de 23 milhões de pessoas, é composta por idosos. A previsão é de que esse percentual aumente rapidamente. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2025 o país terá 32 milhões de idosos. Dos 20,5 milhões habitantes de Minas Gerais, calcula-se que 2,6 milhões sejam idosos. O Estado é o segundo com maior número de pessoas acima de 60 anos, perde apenas para São Paulo. 
     O número de pessoas que possuem alguma deficiência também cresceu e hoje soma 24% dos brasileiros, segundo IBGE. Com tanta gente com dificuldade de movimentação é mais que necessário que haja projetos no Brasil que efetivamente contemplem a questão da acessibilidade. Enquanto isso não ocorre, empresas do setor de construção civil já pensam em alternativas para esse público.
     Para a Construtora Casa Mais, idosos e deficientes físicos têm atenção especial desde a elaboração dos projetos dos empreendimentos. “Estamos sempre atrás de pesquisas que visam melhorias para atender às pessoas com dificuldade de locomoção. O nosso intuito é aumentar o conforto e garantir que esses cidadãos vivam melhor e com dignidade”, conta o Presidente da empresa Peterson Querino.
     Além de rampas de acesso, corrimão e elevadores oferecidos em quase todos os prédios, a construtora aposta em outros elementos para atrair esse perfil de cliente. “Utilizamos um piso tátil e também iluminação apropriada em todas as áreas externas, dessa forma, aumentamos a segurança e diminuímos os risco de acidentes com idosos e deficientes físicos”, salienta Peterson.
     A construtora acredita que seus diferenciais devem atrair pessoas que desejam viver em um local com adaptações para quem tem dificuldade em se locomover. “Quando projetamos nossos edifícios, a ideia é pensar a longo prazo e também no conforto das visitas dos moradores que adquirem um apartamento conosco. Desta forma, pensamos no bem-estar coletivo”, encerra do Presidente da Casa Mais.

Osvaldo Castro

Por: Emanuella Minari

Ergonomia e acabamento premium são destaques da linha de cadeiras Roma, da Flexform

    Ao decorar um espaço corporativo, também é preciso estar atento à ergonomia dos móveis. As cadeiras escolhidas, além de elegantes, devem ser confortáveis e seguras, como é o caso da Roma. Desenvolvida pela Flexform, em parceria com os designers italianos Adriano Baldanzi e Alessandro Novelli, a linha possui modelos com bases fixas ou rodízios, com ou sem apoia-braços e com o encosto em diversas dimensões, para atender aos diferentes segmentos de negócios e às particularidades de cada ambiente dedicado ao trabalho.
    As cadeiras possuem, ainda, base cromada e inúmeras opções de acabamento. Há, inclusive, um modelo com apoia-cabeça. A base pode ser giratória, ideal para escritórios; ou fixa, bastante utilizada em salas de reunião e recepção.
   Para mais informações sobre a Roma, acesse www.flexform.com.br.

Detalhes do produto:

* Várias opções de revestimento
* Linhas retas
* Apoia-braços com regulagem de altura e angulação
* Apoia-cabeça
* 3 opções de base, sendo 1 com rodízio – “giratória” e duas fixas
* Base cromada ou preta


Por: Emanuella Minari

Prêmio “O Melhor da Arquitetura 2013” divulga os vencedores

      A revista Arquitetura & Construção, da Editora Abril, divulgou no dia 29 de outubro, em São Paulo, os vencedores do prêmio O Melhor da Arquitetura 2013. Criado em 2008, o prêmio objetiva destacar a criatividade dos profissionais, os projetos inovadores, as soluções sustentáveis e os aspectos técnicos e estéticos. Este ano, a revista produziu uma série de reportagens sobre o tema "com o intuito de envolver arquitetos e de levantar uma bandeira para a importância da relação com as pessoas nos projetos de arquitetura e urbanismo”, destaca a redatora-chefe da revista, Marianne Wenzel.
A premiação recebeu a inscrição de 477 projetos. Destes, foram  selecionados 59 finalistas que concorreram ao prêmio. Após essa etapa, entre 22 de agosto e 13 de setembro, ocorreu a votação pela internet.
         Na cerimônia de entrega dos prêmios, realizada no Sesc Pompéia, em São Paulo, os autores dos melhores trabalhos das 18 categorias foram homenageados e receberam o troféu O Melhor da Arquitetura 2013, além de terem os projetos publicados na revista Arquitetura & Construção que circula em novembro.

INTERVENÇÃO URBANA
Praça São Vicente de Paula
Estudio Arquitetura
Para melhorar os 1 500 m2 da praça na cidade mineira de Dom Silvério, os arquitetos integraram os níveis do terreno, criaram uma concha acústica para shows e investiram em materiais baratos e duráveis, como o pavimento de concreto intertravado. Os platôs gramados escalonados aumentaram a área verde e a permeabilidade do terreno triangular.

RETROFIT
Museu de Arte Contemporânea da USP
Borelli & Merigo Arquitetura Urbanismo
Antes uma repartição pública, o edifício paulista dos anos 50, com área de 36 mil m2, tornou-se um museu de arte contemporânea. Para isso, foi preciso restaurar a estrutura original e retirar divisórias a fim de recuperar a potência da planta livre, além de investir na automação para controle de umidade, iluminação e temperatura das salas.

ESCOLAS E UNIVERSIDADES
ANEXO II da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre
N2A Arquitetura e Design
A proposta vencedora do concurso público para este edifício encaixa diferentes volumes a uma estrutura modular, que organiza e articula as diversas funções do prédio – desde as
destinadas ao público externo até aquelas específicas da universidade. O bloco principal reserva as salas de aula e os laboratórios.

EDIFÍCIOS CULTURAIS
Praça das Artes
Marcos Cartum + Brasil Arquitetura
Este centro dedicado a atividades de música e dança, em São Paulo, tem seus espaços permeados por um caráter público de convivência. Além da praça que interliga três ruas da cidade, o edifício principal em concreto aparente libera o térreo aos pedestres. Os prédios novos dialogam com outros históricos reformados.

ESPAÇOS DE LAZER
Pavilhão de Eventos Iporanga
Mauro Munhoz Arquitetura
Trata-se de um espaço de convivência onde são realizadas as festividades dos moradores do condomínio. Sem obstáculos visuais, a grande cobertura de madeira funciona como uma praça coberta, que favorece a socialização. O material escolhido – madeira laminada colada – oferece plasticidade ao desenho, pois permite executar vigas curvas e vencer vãos maiores.

EDIFÍCIOS COMERCIAIS OU DE ESCRITÓRIOS-ATÉ 4 PAVIMENTOS OU 500 M²
Mesa III
Felippe Crescenti Arquitetura
Inspirada em galpões industriais, esta rotisseria de 150 m2 em São Paulo combina estruturas metálicas com blocos de concreto. Na área de exposição de produtos, o pé-direito duplo criou um ambiente bem iluminado e arejado. A lateral, foi trabalhada com pequenos vitrôs, volta-se para o jardim externo coberto.

EDIFÍCIOS COMERCIAIS OU DE ESCRITÓRIOS - ACIMA DE 4 PAVIMENTOS OU 500 M²
João Moura
Nitsche Arquitetos
Voltada para uma movimentada avenida paulistana, a fachada deste edifício de escritórios sobressai graças ao grande painel com aberturas e anteparos coloridos. A estrutura do prédio é de concreto com pilares periféricos e vigas protendidas, que garantem aos andares flexibilidade de uso.

ESCRITÓRIOS
Rexam Beverage Can
Mareines + Patalano Arquitetura e Ricardo Behrens Arquitetura
Neste escritório no Rio de Janeiro, os arquitetos buscaram separar radicalmente os ambientes de trabalho da equipe interna daqueles destinados à recepção de clientes e fornecedores. Cada setor foi implantado num andar distinto e tem a sua recepção própria. Destaque para o espaço de convivência com múltiplas funções.

RESTAURANTES
7 Molinos JK Iguatemi
Tacoa Arquitetos
Os montantes do caixilho existente foram transformados em fitas de madeira que recortam piso, parede e forro do ambiente público deste café, em São Paulo. No forro, as fitas que se deslocam da superfície da laje formam desenhos e dão suporte às luminárias. Os arquitetos usaram placas de concreto pré-moldado como revestimento de toda a área, que soma 136 m2.

CASAS NOTURNAS
D-Edge
Muti Randolph, Marcelo Pontes e Zemel + Chalabi Arquitetos
Para aumentar a capacidade da boate paulistana de 648 m2, traçaram-se quatro pisos de pé-direito baixo. A estrutura em concreto armado permitiu grandes vãos, ideais para espaços cenográficos. Pista e lounge ocupam os dois primeiros pisos, e a cobertura deu lugar ao amplo terraço. Os volumes de madeira somem no jogo de luzes.

LOJAS E SHOWROOMS
Empório Nanak
MACh Arquitetos e Gabriel Castro
Para tornar agradável a permanência na loja de apenas 40 m2, posicionou-se uma grelha oblíqua em relação às paredes laterais. Assim, os produtos expostos ficam visíveis para quem olha de fora, mas somem conforme se avança ao interior da loja. Os expositores de madeira foram perfurados com padrões extraídos do logotipo da marca.

HABITAÇÃO SOCIAL
Jardim Edite
MMBB Arquitetos & H+ F Arquitetos
Com 25 700 m2, este projeto ocupa o lugar de uma favela situada num importante eixo financeiro de São Paulo. As verticalizações encerram 252 unidades, todas com 50 m2. Para integrá-las, a solução foi articular cada um dos prédios ao espaço público com restaurante, escola, unidade básica de saúde e creche.

CONDOMÍNIOS RESIDENCIAIS - HORIZONTAIS OU VERTICAIS
Casas AV
Corsi Hirano Arquitetos
A implantação das oito unidades no terreno de 640 m2 em Avaré, SP, configurou um pátio central coletivo, pensado para valorizar o convívio entre os moradores. Compactas, as casas foram articuladas duas a duas a partir de núcleos que abrigam as instalações e escadas. O uso de concreto armado e lajes pré-fabricadas tornou a obra mais rápida.

REFORMA DE APARTAMENTO
Apartamento Araguary
Stuchi&Leite Projetos
O objetivo era explorar melhor a área de 160 m2 e, principalmente, o pé-direito duplo deste apartamento em São Paulo. A escada em “L” deu lugar a outro modelo, que ficou articulado à estante no piso inferior, deixando-o mais espaçoso. Quarto e banheiro foram integrados, assim como cozinha e área de serviço. A obra usou estruturas metálicas e drywall.

REFORMA DE CASA
Reforma Itobi
Apiacás Arquitetos
A residência paulista dos anos 50 passou por mudanças que incluíram a derrubada da edícula (para conseguir uma área livre maior) e de algumas paredes do piso térreo, a fim de melhor integrá-lo ao jardim e à piscina. Tijolos da demolição foram aproveitados nas novas paredes de concreto ciclópico.

CASA DE PRAIA
Residência Laranjeiras
Arquitetura Gui Mattos
Este projeto de 900 m2 celebra o contexto em que está inserido, em Paraty. Seu piso térreo é aberto à paisagem, com amplos painéis de vidro, e o superior tem layout inspirado na morada dos pescadores. Além de reaproveitar a madeira da construção derrubada no local, a construção usou também madeira de demolição.

CASA DE CAMPO
Caixa na Serra
Luciano Alvares e Tatiana Terry
A proposta era moldar uma caixa afastada do chão e que valorizasse o endereço: a 1000 m de altitude e em meio uma cadeia montanhosa da serra fluminense. Assim, os arquitetos elegeram madeira para a estrutura, apoiaram a casa de 161 m2 sobre pilotis e fecharam uma lateral inteira com vidro, emoldurando a paisagem.

CASA URBANA 
Residência FG
Reinach Mendonça Arquitetos Associados
Segundo os arquitetos, a ideia do projeto era erguer uma casa de campo em  plena cidade de Araraquara. Quem chega à residência no interior paulista, com 1099 m2 de área, depara-se com uma fachada marcante, com destaque para o volume metálico do escritório, que se projeta em balanço sobre o jardim. O térreo reserva as áreas de convivência e dois lances de rampas conduzem ao piso superior, onde estão os ambientes íntimos.


Veja algumas imagens abaixo, a  galeria completa das imagens encontra-se no link:  http://abr-casa.com.br/premio/sala-imprensa.shtml








ANTES
DEPOIS


Por: Emanuella Minari

Lançamento do documentário "7 Visões da Paisagem" e debate com paisagistas são atrações da vista noturna de 6/11 no MCB



    Desde o início de 2012, o Museu da Casa Brasileira, instituição da Secretaria de Estado da Cultura, oferece gratuidade em quartas-feiras das 18h às 22h. A ação visa ampliar o acesso do público em horários alternativos, tendo contribuído para o crescimento do número de visitantes do MCB para patamares próximos aos de 100 mil pessoas anualmente. As próximas datas de abertura em horário estendido são 6 e 27 de novembro.
      No dia 6 às 20h, acontecerá o lançamento do documentário 7 Visões da Paisagem, de Elizabeth Rocha Salgado, que reflete sobre a profissão dos arquitetos-paisagistas no Brasil em depoimentos de Rosa Grena Kliass, Benedito Abbud, Maria Cecilia Barbieri Gorski, Gilberto Elkis, Luciano Fiaschi, Marcelo Novaes e Cláudia Souza Ramos. Após a exibição do filme, com duração de cerca de 15 minutos, haverá debate com a presença de alguns de seus protagonistas.
      Ainda na primeira data, os visitantes terão acesso à exposição "Modos de Habitar", programação do MCB para a X Bienal de Arquitetura de São Paulo, que fica em cartaz até o dia 10 de novembro. Estão reunidos no museu projetos dos arquitetos Eduardo Longo (Casa Bola) e Ryue Nishizawa (Casa Moriyama), além de mostras sobre a comunidade indígena Emanuel Guarani Kaiowá e os programas "Minha Casa, Minha Vida" e "Casa Paulista".
      Já no dia 27, o público poderá conferir a exposição do 27º Prêmio Design MCB. Com abertura no dia 26, data da cerimônia em homenagem aos participantes, a mostra apresenta um recorte representativo da produção contemporânea nacional. Às 19h do dia 27 haverá visita especial à exposição com os coordenadores do júri desta edição: Ivens Fontoura (produtos), Marcos Braga (trabalhos teóricos) e Elaine Ramos (cartaz). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (11) 3032.3727 ou pelo e-mail agendamento@mcb.org.br.
      Em ambas as datas (6 e 27 de novembro), estarão em cartaz as mostras de longa duração "Coleção MCB", com móveis e utensílios da casa brasileira dos séculos 17 ao 21, e "A Casa e a Cidade - Coleção Crespi-Prado", que retrata um importante capítulo do desenvolvimento paulistano entre o final do século 19 e meados do século 20 a partir do cotidiano e da trajetória dos moradores originais da casa que hoje abriga o MCB: o casal Fábio Prado e Renata Crespi.
      Em 2012, mais de 1.800 pessoas estiveram no MCB no horário estendido e puderam acompanhar exposições de acervo e mostras temporárias sobre arquitetura e design, além de atrações diversas como lançamentos de livros, visitas orientadas por curadores, apresentações musicais, entre outras programações especialmente elaboradas para as visitas noturnas.
     Em todas as visitas noturnas, o Museu da Casa Brasileira atende ao público espontâneo e a grupos agendados. Os interessados em realizar visitas educativas podem ligar para (11) 3032-2499 e saber mais detalhes sobre esta iniciativa e as atrações em cartaz.


SERVIÇO:

Visitas Noturnas 2013
Data: 6 e 27 de novembro
Horário: das 18 às 22h - Gratuito

Lançamento do documentário 7 visões da paisagem
Debate com paisagistas
6 de novembro às 20h - Gratuito

Visita especial à mostra 27º Prêmio Design MCB
Com Ivens Fontoura, Marcos Braga e Elaine Ramos
27 de novembro às 19h - Gratuito

Local: Museu da Casa Brasileira
Av. Faria Lima, 2.705 - Jd. Paulistano
Tel.: (11) 3032-3727

VISITAÇÃO
De terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 4,00 - Meia entrada: R$ 2,00
Gratuito aos domingos e feriados

Acesso a pessoas com deficiência / Bicicletário com 20 vagas
Estacionamento pago no local

Visitas orientadas: (11) 3032-2564 / agendamento@mcb.org.br
www.mcb.org.br 

Por: Emanuella Minari

1ª edição do evento Casa de Tendências revela nova face do consumidor brasileiro

    Debate promovido por Finish e Brastemp reúne palestrantes e os principais varejistas do País para projetar as tendências de consumo do lar e da família no Brasil.
     As novas estruturas dos lares e das famílias brasileiras foram tema da primeira edição do "Casa de Tendências - os lares brasileiros em transformação", evento realizado na última semana, na Amcham, em São Paulo. Patrocinada por Finish, marca líder mundial em detergentes para lava-louças, e pela Brastemp, uma das marcas da Whirlpool Latin America, a discussão trouxe análises e projeções acerca do comportamento e dos novos hábitos dos brasileiros, das novas conjunturas socioeconômicas, da indústria da facilidade e da arquitetura e decoração de ambientes domésticos. O debate contou com a participação dos especialistas Mirian Goldenberg, Mara Luquet, Marcelo Rosenbaum e Mario Fioretti (diretor de Design e Inovação da Whirlpool Latin America), com a mediação da jornalista Mônica Waldvogel.
     "O evento superou nossas expectativas. O objetivo era promover uma reflexão sobre as transformações no lar e na família brasileira nos últimos anos. Com a atuação dos palestrantes e a contribuição dos nossos convidados, os principais varejistas e importantes formadores de opinião do País, surgiram novos insights e ângulos para identificar as tendências do futuro dos nossos consumidores com muito mais clareza", afirma Renato Guiderolli, gerente de alianças estratégicas para América Latina da Reckitt Benckiser ao anunciar que as marcas já começam a planejar uma nova edição do Casa de Tendências.
     A Indústria da Facilidade - movimento contemporâneo que evidencia o papel dos fabricantes de eletrodomésticos em atender aos novos padrões comportamentais - foi o tema de Mario Fioretti, diretor de Design e Inovação da Whirlpool Latin America, dona da marca Brastemp. Mario iniciou seu discurso dizendo que "a indústria sempre dialoga com as tendências" e revelou que o futuro dos eletrodomésticos no Brasil está em atender a demanda por praticidade. "Temos identificado a demanda por eletrodomésticos com alta tecnologia, design inovador e, acima de tudo, com funcionalidades que facilitem a rotina do dia a dia", reforçou. Conectividade e inteligência serão, para Mario, os dois principais atributos desejados pelos consumidores, reforçando, também, o papel influenciador da arquitetura sobre o design de produtos como eletrodomésticos que, por conta dos ambientes integrados, começam a fazer parte da decoração da casa.
     Além disso, Mario chamou a atenção para o fato das chamadas cozinhas ou varandas gourmet estimularem a produção de eletrodomésticos e utensílios mais "masculinos". Destacou ainda a tendência das indústrias imobiliária e moveleira na atuação em conjunto com os fabricantes de eletrodomésticos, objetivando a adaptação de pequenos espaços, comuns nos novos empreendimentos, aos aparelhos. "Assim como o lar em si, os eletrodomésticos refletem a personalidade de quem os utiliza", concluiu.
     Entre os produtos discutidos no encontro, a lava-louças foi destacada em muitos momentos, já que facilita a vida do consumidor e segundo pesquisa da Nielsen está presente em apenas 2% dos lares brasileiros. Especialistas ressaltam que para ganhar espaço no mercado é necessária uma mudança de atitude, pois os equipamentos atuais se diferem muito dos primeiros modelos lançados, já que atualmente esse aliado da cozinha higieniza de cristais a panelas, sem necessidade de limpeza prévia dos utensílios.      Além disso, ao optar por lavar a louça a mão, há um impacto da praticidade, já que gasta-se 300 horas por ano com a tarefa (cerca de 49 minutos por dia em uma família de 4 pessoas) e também ambiental, pois são cerca de 120 litros de água utilizados no processo manual (fonte: Sabesp), contra de 12 a 20 litros com o eletrodoméstico.

As Mulheres e as Famílias Brasileiras

     A antropóloga, escritora e pesquisadora Mirian Goldenberg iniciou o debate instigando os presentes a refletir sobre a divisão das tarefas domésticas no Brasil. "A mulher entrou no mercado de trabalho, mas o homem não entrou em casa", afirma a especialista. Mirian destacou o uso do verbo "ajudar" quando mulheres referem-se à participação dos homens na limpeza e tarefas do lar, o que indica que elas se sentem responsáveis pelo trabalho e que delegam funções aos maridos. "E a mulher brasileira não abre mão desse poder, ela resiste a mudar e, com isso, segue insatisfeita por conta da falta de tempo para si mesma e reconhecimento dentro de casa". Esse conflito das brasileiras apontado pela antropóloga, que há vinte anos estuda o comportamento das mulheres, inspirou a realização de uma pesquisa exploratória com vinte casais apresentada durante o evento.
     Intitulada "Brigas Nunca Mais", a pesquisa permitiu com que Mirian identificasse cinco tipos de casais. O mais comum é o "Conservador Tradicional", perfil identificado em oito dos vinte casais no qual o homem é o provedor e a mulher a dona de casa. Esse casal não briga muito, mas também não se diverte. Os casais "Pré Modernos", os que mais brigam, são aqueles em que o homem ajuda com as tarefas, mas a mulher ainda é a protagonista e não abre mão do controle doméstico. O casal "Moderno", no qual todas as tarefas são negociadas e divididas igualitariamente, é o que apresenta a relação mais cansativa e um dos que menos aproveita a casa. Os casais "Genderless" ou "Pós Modernos", por não carregarem a distinção simbólica de gêneros, são os que dividem melhor os afazeres e mais se divertem. Já o modelo "Invertido", identificado em apenas dois casais da amostra, traz o homem como o grande respons ável pelo controle dos afazeres domésticos. Nesses casais, o homem tem autonomia para realizar as tarefas a sua maneira, incluindo a aquisição de eletrodomésticos facilitadores. "A mulher compete com os eletrodomésticos, tem dificuldade para atribuir a eficiência de uma atividade a um aparelho e faz questão de demonstrar seu esforço, enquanto o homem é mais prático", comentou Mirian. "Só encontrei máquinas lava-louças nas casas dos casais Invertidos", afirma a antropóloga para exemplificar como o homem lida com os trabalhos domésticos de maneira muito diferente das mulheres.

As Contas da Família

     Uma das principais referências brasileiras em finanças pessoais, Mara Luquet ressaltou como o aumento da expectativa de vida e o acesso ao crédito no Brasil promovem uma mudança brutal nas famílias brasileiras do ponto de vista econômico e de consumo. "A taxa de juros no País já foi de 44% na década de 1990 e, hoje, com a estabilidade monetária e o maior acesso ao crédito, vivemos em um ambiente muito favorável para o aumento de renda e, consequentemente, de consumo", comentou a especialista. Mara aponta que o cenário favorece a possibilidade de escolhas e apresentou uma ferramenta que calcula e compara, ano a ano, a economia conquistada com a troca de uma mensalista por uma diarista e a aquisição de eletrodomésticos facilitadores do trabalho.
    "Comprando uma lava-louça, lavadora de roupas e secadora, com investimento de R$ 4,5 mil é possível dispensar a empregada doméstica e contratar uma diarista. Comparando o custo que a família teria com cada uma destas profissionais, o valor economizado em cinco anos seria de quase R$ 50 mil (considerando investimento conservador com rendimento de 3% a.a.)", explicou. O software fez o cálculo considerando o valor da depreciação dos equipamentos e a troca destes, (com vida útil estimada de cinco anos) e o impacto do aumento de energia com o uso dos eletrodomésticos. A ferramenta estará disponível no site da editora Letras & Lucros, comandada pela especialista: www.letraselucros.com.br

Tabela com a comparação custo empregada doméstica/diarista

Custo anual - empregada doméstica mensalista R$ 18.224,00
Custo anual - empregada diarista R$ 8.200,00
Investimento na compra dos eletrodomésticos - lava-louça, lavadora de roupas e secadora R$ 4.500,00
Economia no 1º ano com a diarista + o investimento nos equipamentos R$ 5.524,00
Economia no 2º ano com a diarista (comparativo com a empregada mensalista) R$ 10.024,00
Economia em cinco anos, com aplicação rendendo 3% a.a. R$ 45.152,99

Novos Lares, Novos Espaços para a Família

   O designer Marcelo Rosenbaum apresentou as principais mudanças nos ambientes domésticos dos grandes centros urbanos a partir de uma contextualização histórica e cultural, evidenciando um resgate de valores indígenas que envolvem o sentimento de coletivo e comunidade. Nos grandes condomínios, em que os apartamentos estão cada vez menores, a área comum virou um espaço de convívio que reflete a existência de uma comunidade. "Do ponto de vista do consumo de utensílios domésticos, vivemos em uma nova grande aldeia", comentou.
    As tendências que surgem no mercado imobiliário também representam um resgate de valores segundo Rosenbaum. Os ambientes integrados, nos quais a cozinha é valorizada e conectada à sala de estar, favorecem o convívio familiar, por exemplo. Rosenbaum ainda revelou que a cozinha e o banheiro são os primeiros cômodos reformados pela grande maioria das famílias. "Na cozinha, a mulher aceita a tecnologia e a decoração moderna com mais facilidade", afirma o designer.

Divulgação: (da esq. para a dir.) Mirian Goldenberg, Mara Luquet, Mônica Waldvogel, Marcelo Rosenbaum e Mario Fioretti participam da 1ª edição do evento "Casa de Tendências"

BASF apresenta tendências em construções sustentáveis

 
    A CasaE, primeira Casa de Eficiência Energética no Brasil, conta com mais de 20 soluções que tornam as obras mais eficientes e economizam  recursos naturais. A crescente demanda do segmento de construção, em especial a necessidade de moradias nos centros urbanos e as grandes obras de infraestrutura, é um dos principais desafios da sociedade. Para colaborar com esse movimento social e minimizar o consumo dos recursos naturais, a BASF conta com um diversificado portfólio de soluções no segmento de químicos para construção, desenvolvidos com foco na sustentabilidade.
    Segundo estimativa da ONU, 9,6 bilhões de pessoas habitarão o planeta em 2050, tornando urgente a disseminação de soluções para que as construções sejam mais sustentáveis. Como importante fornecedora de soluções para esse segmento, a BASF inseriu o tema na lista de megatendências avaliadas pela empresa como os desafios a serem superados por meio da inovação.
    No segmento de químicos para construção, as mais recentes tendências mundiais desenvolvidas pela empresa foram aplicadas na unidade brasileira da CasaE – Casa de Eficiência Energética, localizada em São Paulo. São aditivos para concreto,  -, impermeabilizantes, selantes, revestimentos e adesivos, entre outros, que utilizados na obra a tornaram mais rápida, limpa e eficiente.
    “Como indústria química, o nosso objetivo é utilizar o conhecimento que possuímos para criar produtos inovadores, que colaborem para a economia dos recursos naturais e mudem a forma atual de construir. Na área de químicos para construção, o desafio é minimizar o impacto ambiental das obras e assim contribuir com um futuro sustentável para o planeta”, explica Marcelo Leonessa, diretor de Químicos para Construção na América do Sul.
     Uma das soluções de importante destaque na CasaE é Concreto Permeável, um tipo de material com alto índice de vazios, preparado com pouca ou nenhuma areia, que permite a passagem de grandes quantidades de água. O material foi utilizado no estacionamento da casa e toda a água que cai no local é drenada, conservada em um reservatório e reutilizada nos jardins.
     “Essa solução foi desenvolvida especialmente para minimizar o impacto das chuvas nos centros urbanos, onde a água não tem para onde escoar e acaba causando alagamentos. Com o Concreto Permeável, a chuva pode deixar de ser um complicador das grandes cidades”, –complementa Marcos Correia, Gerente de Marketing e R&D. .
      Já o Glenium®, uma linha de hiperplastificantes à base de éter policarboxilato modificado, aumenta a eficiência da hidratação do cimento, reduzindo o uso de água em até 40% em relação aos processos convencionais. Além de economizar água, o produto gera uma diminuição nas emissões de CO2, uma vez que permite a redução de cimento na fabricação do concreto.
     O Sonoguard® é um revestimento impermeabilizante de poliuretano antiderrapante. O produto é ideal para área com grande tráfego de pedestres e veículos. Na CasaE, ele foi aplicado na área gourmet e na rampa de acesso de cadeirante.
      Entre outras tecnologias da área de Químicos para Construção da BASF que otimizam e contribuem para o processo de construção estão:  Ucrete*, um revestimento de alto desempenho com resistência a agentes químicos agressivos, impacto pesado e temperaturas de até 150 graus; Manta Líquida Suvinil, um impermeabilizante que forma uma cobertura elástica de alta resistência;  Concresive® , linha de adesivos para aplicação em encontro de ferragens e lajes; Mastertop®, linha para pintura e revestimento de pisos e estruturas; HLM®5000, produto asfáltico modificado com poliuretano que protege áreas estruturais de infiltração; Masterforma®, produto que evita a aderência do concreto, garantindo melhor qualidade do acabamento; Masterseal®, linha para proteção e impermeabilização; NP1, selante de longa duração para juntas sujeitas a movimentos regulares ou deformação; Rheomix®102C, linha de aditivos para argamassa que melhora a aderência e facilita o acabamento.

Sobre a CasaE

A CasaE é a primeira Casa de Eficiência Energética da BASF no Brasil e a 10ª unidade da empresa no mundo. O projeto recebeu soluções inovadoras desenvolvidas pela BASF e pelos parceiros envolvidos com o objetivo de reduzir o consumo de energia e a emissão de CO2.

O sistema construtivo é constituído de um painel de cerâmica estrutural e a fundação de alvenaria. As paredes, piso e laje foram executados em Sistema EIFS - Exterior Insulation and Finish Systems - que consiste em placas de poliestireno expandido Neopor® sobre a construção tradicional. O Sistema ICF – Insulated Concrete Formwork– de tijolo feito com Neopor® - poliestireno expandido – foi aplicado em uma das salas. Essas inovações, além de tornarem a obra mais rápida e limpa, são responsáveis por um isolamento térmico eficiente. A estimativa de economia de toda a energia necessária é de cerca de 70%.

A BASF tem entre seus pilares a construção sustentável e oferece soluções voltadas à eficiência energética, além de materiais de alto desempenho, design e decoração. São plásticos, poliuretano, produtos químicos para construção, tintas, vernizes e pigmentos de última geração. Todos esses materiais foram aplicados na CasaE com o objetivo de mostrar ao mercado de construção o que existe de mais moderno em termos de obra de eficiência energética.

 Soluções desenvolvidas contribuem para a redução do consumo de água, energia e emissão de CO2
Por: Emanuella Minari


UNIESP leva a exposição “O Legado”, de protótipos baseados em estudos de Da Vinci, para Ribeirão Preto


     Ribeirão Preto receberá a exposição "O Legado”, com entrada gratuita ao público, de 05 de novembro a 05 de dezembro, de terça a sábado, das 10h às 18h, e domingo até as 16h, no Theatro Pedro II. Os visitantes poderão conferir 21 protótipos do gênio da Renascença, todos construídos a partir de seus estudos e desenhos. Seis protótipos são inéditos e, diferentemente de outras mostras sobre o gênio, a maior parte das peças foi construída em tamanho natural.
    “O Legado” apresenta as seguintes peças: Carro Metralhadora, Balestra, Escavadeira de Trincheira, Catapulta, Inclinômetro, Mecanismo de Bater Asas Parafuso e Porca, Estudo da Asa, Máquina Voadora, Bate Estaca, Bicicleta, Câmbio, Caminhar Sobre a Água, Grua, Barco Canhão Giratório, Barco com Pás, Serra hidráulica, Carro Cortador, Anemômetro, Máquina para Medir a Velocidade do Vento, Ponte Giratória e Técnica de Assalto.
      São considerados inéditos os protótipos Carro Cortador, Balestra, Ponte Giratória, Inclinômetro, Bate-estaca, Serra Hidráulica. As peças são acompanhadas de painéis com reproduções de obras do artista, a exemplo da "Última Ceia".
      Segundo o Instituto Vinciano Italiano, responsável pela curadoria da exposição, os protótipos têm um nível de excelência que não se encontra na própria Itália.
Pesquisa da Universidade de Buffalo (Nova York, Estados Unidos), feita em 1999, revelou que Da Vinci é o homem mais conhecido de todo o milênio. Leonardo foi um gênio multidisciplinar, da pintura à botânica, da engenharia até a anatomia humana. Há cinco séculos, foi o primeiro cientista que estabeleceu a distância entre a Terra e a Lua.
      A exposição "O Legado" de Leonardo Da Vinci é realizada pela MAISCOM. com Curadoria do Instituto Vinciano Italiano, com patrocínio da UNIESP e do GRUPO BRASILINVEST e apoio da Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto.

 
Serviço:
Exposição “O Legado”

Local: Theatro Pedro II. R. Álvares Cabral, 370, Centro, Ribeirão Preto, SP.

Data: 05 de novembro a 05 de dezembro de 2013

Horário: terça a sábado, das 10h às 18h, e domingo até às 16h.

Entrada: gratuita

Interessados em agendar visitas monitoradas para grupos ou escolas podem entrar em contato pelo e-mail eventos@uniesp.edu.br. Os horários disponíveis para visitas de grupos são às terças ou quintas-feiras, entre 10h e 17h.






Por: Emanuella Minari

Utilize peças chave e transforme o ambiente da casa em um retrô atual

     As peças retrô ganham cada vez mais destaque na decoração de ambientes, mas antes de tudo é preciso definir, organizar e planejar, para transformar um espaço com uma decoração vintage sem transmitir a sensação de antigo ou retrógrado.
     Muitas vezes são necessárias apenas algumas mudanças; um sofá, uma banheira, etc., para que a decoração retrô remeta ao passado sem deixar que o ambiente fique antiquado. A combinação de peças 'antigas' acena como grande tendência e pode sim, tornar os ambientes ainda mais elegantes, despojados e modernos.
     O mercado de decoração oferece um leque de opções para quem quer conquistar um visual vintage para a casa. Pensando nisso, aqui na Holofote Comunicação preparamos uma seleção de produtos que podem contribuir para alcançar esse estilo nos mais variados projetos.
      A Banheira Retrô da Pretty Jet se destaca pelo design clássico, uma releitura autêntica das banheiras vitorianas originais. É um modelo freestanding, ou seja, dispensa alvenaria, facilitando sua instalação em qualquer projeto. Pode ser retirada e reinstalada em outros ambientes ou residências, no caso de mudanças, sem dificuldade. Fabricada em acrílico sanitário, cujo brilho se assemelha à porcelana, a Banheira Retrô ainda tem a vantagem de proporcionar grande conforto térmico aos seus usuários. E para facilitar o pós-banho, possui o prático ralo Pop Up, que você abre ou fecha com um simples toque.
   

     A Linha Belle Époque da Deca, é outra sugestão para alcançar o charme retrô.  Com design clássico, é produzida em latão cromado e seu formato resgata o melhor dos mais requintados ambientes, garantindo exclusividade aos mais variados projetos de banheiros.

   

     Já o Ladrilho Retrô da Lanzi, é inspirado num clássico da arquitetura de interiores: os ladrilhos hidráulicos, peças coloridas, fabricadas artesanalmente, que compõem desenhos em pisos, paredes e tampos de móveis. Produzida em porcellanato e no tamanho 22x22cm está disponível nas cores Brown, Gray e Carmim. O Ladrilho Retrô apresenta um toque vintage por conta das formas e estilos distintos, que vão desde estampas floridas, tié-dye, abstratas, formas geométricas e psicodélicas, que combinam perfeitamente com os mais variados tipos de ambientes, dando um toque único e criativo.



     O Sofá Hardy lançamento da Brentwood, assinado pelo estúdio BW, tem a proposta de ser um retrô atual. Com design diferenciado e priorizando o conforto, o Sofá Hardy é inteiro revestido com plumante, além de possuir almofadas de assento e encosto em pesponto.



     Como sugestão de pisos, a Durafloor possui uma linha que reproduz os desenhos e nós das madeiras nobres: a coleção Design. Com aspecto de textura natural da madeira, a coleção prima pelo charme e sofisticação e é indicado para locais de médio tráfego, residenciais e comerciais. Outro diferencial da linha Durafloor é o sistema Click, moderna tecnologia que não utiliza cola na instalação.



     Se a preferência for trazer um estilo mais rústico e áspero para o projeto, a Gail oferece a Coleção Falésias. Inspirada nas belezas naturais de Trancoso, no litoral da Bahia, e também nas paisagens de Torres, no Rio Grande do Sul, as placas cerâmicas da coleção remetem ao contato com a areia da praia.Disponíveis nos tamanhos 300x180mm e 180x180mm e nas cores Trancoso, Guarita e Jericoacoara, foram desenvolvidos com a intenção de manter a dinâmica natural do ambiente em que se inspiram.



LIVRO QUE REÚNE O MELHOR DA ARQUITETURA BRASILEIRA É LANÇADO EM SALVADOR

     A Portobello, empresa líder no segmento de revestimentos cerâmicos na América do Sul, lança em Salvador o livro "Arquitetura Brasileira - 2.ª Edição". A obra reúne 200 páginas de trabalhos representativos de 20 renomados escritórios de arquitetura de todo o Brasil, e é uma iniciativa do CRIAR, Programa de Relacionamento da Portobello que tem como objetivo oferecer serviços adicionais e melhorar o canal de comunicação com os profissionais da arquitetura. "Estabelecer o diálogo entre a arquitetura e a marca Portobello nos motiva, e essa parceria é fundamental para a evolução constante dos nossos produtos e serviços", assegura Cesar Gomes Junior, presidente da Portobello.
      Já Marcos Reis, superintendente do Canal de Vendas de Engenharia da Portobello, afirma que a positiva receptividade dos profissionais do segmento à sua 1ª publicação, lançada em 2012, confirmou a importância do projeto. "Nosso plano original já previa a sequência, já que o livro nos permite abranger ainda mais a contínua e talentosa produção nacional. Da 1ª edição, mantemos o espírito de valorizar e reconhecer o arquiteto brasileiro, difundindo seu trabalho no mercado local e internacional", ressalta.
"Arquitetura Brasileira - 2.ª Edição" traz um conteúdo bilíngue inteiramente novo, incluindo uma nova seleção de arquitetos e projetos. Estarão presentes na noite de lançamento autografando exemplares os titulares dos escritórios FRS - Foguel, Reis, Sá Arquitetura e AFA - André Sá e Francisco Mota Arquitetos, de Salvador (BA).
     O livro, que já havia sido apresentado a convidados em sessões fechadas organizadas pela Portobello no Parque Burle Marx, em São Paulo, será oficialmente lançado no dia 06 de novembro, quarta-feira, das 19h às 22h, no Hotel Sheraton, 3° Andar - Sala Topázio.



Por: Emanuella Minari



A próxima palestra da Atec Cultural está a cargo do arquiteto Nabil Bonduki.

   
 
    A cidade, seus problemas, seu crescimento desejado será o tema de sua  palestra que dá continuidade a uma série de debates sobre habitação e cidades, arquitetura como construtora do perfil da cidade; moradias de interesse social; equipamentos públicos democráticos e correlatos, que têm sido o foco das palestras de 2013 da Atec Cultural.
      Nabil Bonduki tem experiência na área de habitação, planejamento urbano e regional, meio ambiente, cultura e educação. Autor de 12 livros publicados, entre os quais “Origens da Habitação Social no Brasil” e “Intervenções Urbanas na Recuperação de Centros Históricos”, além de centenas de artigos publicados em livros, periódicos e veículos de comunicação social.
      Foi superintendente de habitação popular da prefeitura de São Paulo no governo de Luiza Erundina (1989-1992). Enquanto superintendente, coordenou a construção de mais de 10 mil moradias em mutirões autogeridos e criou a lei da titularidade da mulher, que obriga colocar em nome da mulher a propriedade de moradia produzida em programas da prefeitura.
      Prestou consultoria na elaboração de planos diretores e de habitação para inúmeros municípios, como Franca, Ipatinga, Taboão da Serra, Nova Iguaçu, São Paulo, Salvador, além do Distrito Federal. Atuou na coordenação da consultoria para a elaboração do Plano Nacional de Habitação. Em 2011 exerceu a função de secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, coordenando a implementação da Lei Nacional dos Resíduos Sólidos, um dos mais importantes instrumentos de política ambiental do país.


SERVIÇO:
QUANDO: 07 de novembro de 2013, às 19h30
ONDE: Atec Cultural, no showroom da Atec Original Design
ENDEREÇO: Av. Brig. Faria Lima, 1.800 – 10º andar
CAPACIDADE: 60 lugares
INSCRIÇÕES: pelo telefone 11 3034-1800
PREÇO: a entrada é gratuita

Por: Atec Cultural 

Brasil atinge a marca de mais de 1 milhão de m² em habitações Sustentáveis


     O Brasil se destaca no cenário mundial como um dos países que mais investe em sustentabilidade na construção de habitações. Esse fato é comprovado pelo número de casas e apartamentos registrados pela certificação Processo AQUA, lançada em 2010 para o setor habitacional pela Fundação Vanzolini. Em 2013, a chancela adaptada ao Brasil, a partir do modelo francês HQE (Haute Qualité Environmentale), atingiu a marca de 7.711 unidades habitacionais avaliadas, o que corresponde a mais de 1 milhão de m² certificados. No levantamento por edifícios, são 80 edifícios de apartamentos, um conjunto de 80 casas de interesse social e 4 casas de alto padrão.
         Os números da certificação Processo AQUA sinalizam avanços ambientais, sociais e econômicos para as cidades brasileiras. O processo de avaliação das construções considera o programa de necessidades da habitação, o contexto local, a estratégia ambiental do empreendedor, a análise econômica global, o usuário, as demais partes interessadas e a regulamentação.
Segundo o professor Manuel Martins, coordenador executivo do Processo AQUA, “o processo não prescreve sistemas ou processos construtivos, nem soluções, nem materiais, pré-definidos, mas um projeto coerente, com desempenho ambiental, condições de conforto e saúde. A certificação avalia o planejamento e o projeto do empreendimento, a execução e a entrega, a partir de quando o usuário passa a ocupar a edificação, e pode alcançar até o final da vida útil, na fase de desconstrução ou requalificação", explica Martins.

Evolução e avanço

     Além disso, a procura por sustentabilidade em edificações habitacionais mostra que a consciência e as exigências dos empreendedores e moradores evoluíram. Junto a isso, os avanços na tecnologia, a normalização e a regulamentação impulsionaram o aperfeiçoamento dos referenciais técnicos, atualizados em abril de 2013, para habitações, e do próprio processo de certificação AQUA como um todo.
Entre as novas orientações do documento, se destacam a introdução da norma de desempenho para edifícios da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), a NBR 15575; a maior adesão do Processo AQUA à ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia), que avalia a eficiência energética de equipamentos; e a inclusão dos critérios da PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem) Edifica, que avalia a eficiência energética do edifício. Tanto a ENCE, quanto o PBE Edifica, foram criados pelo Inmetro em parceria com a Eletrobrás e possuem graduações que vão de “A” a “E”, de acordo com a eficiência energética.
         A atualização do referencial técnico buscou valorizar os empreendimentos que se preocupam com a acessibilidade, projetos que possibilitem a adaptação dos compartimentos conforme o envelhecimento dos usuários e que proponham um desenho universal das unidades habitacionais.
         Os exemplos dos benefícios da certificação AQUA são inumeros. Um deles é a diminuição dos impactos que uma construção causa no entorno. Para se ter uma ideia, nas regiões onde as construções foram certificadas, os moradores do bairro convivem com um canteiro de obras limpo, que economiza recursos naturais e que não gera desconforto acústico aos vizinhos. Outro aspecto importante, é que os moradores das unidades vão utilizar edificações modernas, que preservam o meio ambiente, com economia de água e energia e, ainda, oferecem maior conforto e saúde, se comparada às construções convencionais.

Por: Emanuella Minari

Primeira bienal “errada” de arte digital, The Wrong, inaugura em novembro deste ano


     Com a missão de incentivar e promover a arte digital para uma ampla audiência ao redor do mundo, o projeto The Wrong reúne o melhor desse universo, ao mesmo tempo que acolhe os jovens talentos desta rica cena contemporânea.
    A partir do dia 1º de novembro, até 31 de dezembro de 2013, a web e eventos ao vivo em algumas cidades do mundo, irão sediar a primeira bienal online envolvendo grandes talentos da arte digital nacionais e internacionais. O projeto foi idealizado por David Quiles Guilló, espanhol residente no Brasil, e por sua esposa, a brasileira Graziela Calfat. Ambos são responsáveis pela Rojo, produtora de novos formatos de expressão cultural
    Uma equipe de 30 curadores foi selecionada para apresentar o melhor desse universo. A bienal será dividida em pavilhões, espaços virtuais em que se expõem as obras selecionadas. No total serão mais de 20 pavilhões online, incluindo um pavilhão ilimitado aberto à participação pública e um “meta” pavilhão com o trabalho dos curadores. A única bienal totalmente acessível e gratuita a um “clickway” dos visitantes.
Cada um dos pavilhões online terá um curador responsável e reunirá, no mínimo, dez artistas. Já o pavilhão aberto ao público funciona da seguinte forma: artistas e interessados em participar do evento, que não foram convidados por nenhum curador, podem enviar sua obra aos dois curadores desse espaço. Desde abril deste ano foi disponibilizada uma “open call” que ficará aberta até o último dia do evento, permitindo que cada pessoa tenha a chance de submeter sua obra.  O conteúdo deste pavilhão é renovado diariamente durante o evento.
    O “meta” pavilhão tem como curador o diretor criativo do projeto, David Quiles Guilló, que selecionou os 30 curadores do The Wrong. Ele também é o diretor criativo e criador da Rojo, organização responsável pela concepção e produção do evento.
Além disso, diversas cidades ao redor do mundo, como Barcelona, Rio de Janeiro, Los Angeles, Brooklyn e Montevidéu, terão embaixadas do The Wrong, onde haverá a experiência física da Bienal Digital, com shows ao vivo, workshops e exposições.
Ao final do projeto, um livro, The Wrong Book, será compilado com as melhores obras de arte digital submetidas por todos os participantes. Ele estará disponível para pedidos online.

CURADORES
 Jodi, Yoshi Sodeoka, Anthony Antonellis, Rollin Leonard, Lorna Mills, Curt Cloninger, Emilio Gomariz, Eric Mast, Chiara Passa, Max Hattler, A.Bill Miller, Helena Acosta, Peter Rahul, Miyö Van Stenis, Andrew Benson, Emilie Gervais, Rick Silva, Michaël Borras, Sara Ludy, Ellectra Radikal, Giselle Zatonyl, Protey Temen, Johann Velit, Michael Staniak, Gerhardt Rubio Swaneck, Julia Borges Araña, Guilherme Brandão e David Quiles Guilló.

FORMATOS
30 pavilhões online at http://thewrong.org
Um pavillhão ilimitado aberto a participação pública
Um “meta” pavilhão com trabalho dos 30 curadores
Rede de Embaixadas AFK em 10 cidades do mundo
Um livro: “ The Wrong” Book

EMBAIXADAS
TRANSFER - Brooklyn
SMART OBJECTS - Los Angeles
PARADISE HILLS - Melbourne
MUTUO -Barcelona
PLUTON - Valencia
TAL - Rio de Janeiro
HIT THE DIRT - Santiago de Chile
NNM Studio - Lima
LabLT - Montevidéu
NO LUGAR – Quito

Sobre a ROJO®

Com a ideia inicial de oferecer um espaço para jovens artistas divulgarem seus trabalhos, mas sem as imposições conhecidas pelo mercado, David Quiles Guilló fundou a ROJO® em 2001, em Barcelona. 12 anos depois, a ROJO® é uma das organizações culturais mais ativas do panorama artístico mundial, se destacando principalmente por criar formatos inovadores para divulgar conteúdo artístico extraordinário e por coordenar uma rede cultural internacional dedicada exclusivamente a promoção da arte e da criatividade


Por: Emanuella Minari

Alunos de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi recebem prêmios em concursos nacionais

       O estudante de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi, integrante da rede internacional de universidades Laureate, Ancelmo Andrello Magalhães Azevedo, 21 anos, venceu a categoria Banheiro como Equipamento Urbano da 18ª edição do Prêmio Estudos de um Banheiro. O evento, promovido pela empresa Deca em setembro é reconhecido nacionalmente pelo setor.
       Utilizando características de mobilidade em seu projeto, além de priorizar o uso racional de elementos e formatos arredondados. O banheiro também conta com um bicicletário e uma cabine unissex, feita de aço inox. “Sempre me interessei pela cidade de São Paulo, pela sua movimentação, por isso quis misturar elementos de mobilidade. Foi o primeiro concurso que participei e estou muito feliz com o reconhecimento”, comemorou Ancelmo, que cursa o 5º semestre.
      Sob a orientação do professor Sarkis Sergio Kaloustian, os estudantes Fernanda de Freitas Cestari, Débora Chiconato Gavazzi, Caroline Macedo de Souza, Guilherme Marini Modesto, Rafael Leonardo Novais e Letícia Bilieri da Silva conquistaram a segunda posição no 4º Concurso Nacional de Paisagismo Urbano, a Associação Nacional de Paisagismo. Apenas um ponto separou o grupo do primeiro lugar, disputado com profissionais brasileiros e americanos - o desafio foi desenvolver um projeto paisagístico para a Praça Gustavo Teixeira, no centro da cidade de São Pedro, interior de São Paulo.
      No croqui feito pelos alunos, um eixo ligava a praça a uma igreja localizada à frente. No ponto central, uma pequena cachoeira com lago fazia referencia à geografia da cidade. No projeto, o antigo coreto da praça ganhou forma de concha acústica para ser utilizado como um teatro ao ar livre. Brinquedos modernos e seguros foram dispostos na área do playground. “A ideia era preservar a história da cidade, dando um toque contemporâneo”, explica o professor Kaloustian.

 Ancelmo Azevedo venceu a categoria Banheiro com Equipamento Urbano na 18ª edição do Prêmio Estudo. 


Por: Emanuella Minari
Imagem: Casa Abril

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Dia 25 de outubro é o Dia da Construção Civil e e dia de São Frei Galvão, o primeiro santo brasileiro, é considerado o Padroeiro dos Arquitetos e da Construção Civil

   Idealizado a partir de uma promessa, o filme Frei Galvão, o Arquiteto da Luz, teve sua pré-estreia no Rio de Janeiro durante a Jornada Mundial da Juventude de 2013, com a presença do Papa Francisco.
A distribuição para todas as lojas católicas é feita pela Editora Paulinas. O dia de São Frei Galvão é comemorado em 25 de outubro.

O FILME

     O documentário relata a história e os milagres do primeiro Santo Brasileiro e conta a origem das suas famosas Pílulas. Transmite conhecimentos de fé e elevação espiritual para todos os públicos, independentemente de crença religiosa.
Além da informação biográfica de São Frei Galvão, o filme apresenta aspectos históricos de São Paulo e do Brasil, elementos educativos,  arquitetônicos e de arte sacra.
Há vários depoimentos e testemunhos emocionantes de milagres de graças alcançadas pela devoção.
    A história do Recolhimento da Luz, conhecido hoje como “Mosteiro da Luz”, construção realizada por Frei Galvão é contada em detalhe. Ao contrário do que vem sendo divulgado, o Mosteiro é tombado pelo IPHAN, faltando ainda seu reconhecimento pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade.
     A trilha sonora foi desenvolvida pelo cantor e compositor Malcolm Forest, diretor do filme e pagador da promessa feita a Frei Galvão com arranjos do maestro Ocimar de Paula. Conta com uma grande diversidade musical, desde “O MAIOR BRASILEIRO”, uma moda de viola e catira autêntica, ao pop, à “REGINA MUNDI”, uma obra sacra original, gravada pelos Monges Beneditinos do Mosteiro da Ressurreição de Ponta Grossa, Paraná. Inclui ainda a performance da música “PRIMAVERA” do Padre Antônio Vivaldi pelo grupo vocal israelense Carmel a Cappella sob a  direção de Shula Erez e música do compositor André da Silva Gomes, contemporâneo de São Frei Galvão cedida pela gravadora Paulus.

SAIBA MAIS

Os principais links da web são:
1. Blog: www.arquitetodaluz.com.br
2. Fan Page, Facebook: https://www.facebook.com/arquitetodaluz
4.Trailer preparado pela Editora Paulinas: https://www.facebook.com/photo.php?v=1427802270764553&set=vb.171434286358439&type=3&theater
5. Trecho do filme:
http://www.youtube.com/watch?v=o4dDsXSLcwE




Por: Emanuella Minari

Escritório brasileiro coordena projeto de unidade de terminais bancários na Índia

    A Santini & Rocha Arquitetos concluiu a primeira etapa do projeto arquitetônico da unidade industrial da Perto, em Jaipur, na Índia. Seguem mais informações.
    A Santini & Rocha Arquitetos, escritório com 35 anos de mercado, concluiu a primeira etapa do projeto arquitetônico da fábrica de terminais bancários da empresa brasileira Perto, em Jaipur, na Índia, que nas fases 1 e 2 terá mais de 30 mil m².
   Os primeiros três meses de trabalhos foram coordenados na cidade indiana de Jaipur pelo arquiteto Lucas Rocha, da Santini & Rocha Arquitetos, em parceria com o escritório local CP Kukreja Associates.
   "Estamos trabalhando no projeto executivo de arquitetura e também nos projetos de instalações e estrutural", explicou o arquiteto, acrescentando que o início das obras no complexo está previsto para o começo do ano que vem.
    Os aspectos culturais de infraestrutura na Índia foram contemplados pelo projeto. "O maior desafio estão sendo as questões culturais. Os banheiros possuem instalações diferentes dos quais estamos acostumados no Brasil e a cozinha industrial do refeitório serve apenas comida vegetariana, por exemplo", citou Rocha.
    "A Índia possui um grande problema de fornecimento de energia elétrica. Por isso estamos considerando seis geradores para 100 % da demanda da fábrica, pois não podemos contar com a energia da concessionária local. Além disso contemplaremos itens de sustentabilidade como reutilização da água da chuva, energia solar e uso de materiais e técnicas locais", finalizou o arquiteto da Santini & Rocha.





Por: Marcos Koboldt / Jornalista - MTB 11.888

Dubai Expo 2020 : uma oportunidade única

   

     Os Emirados Árabes Unidos irão sediar Expo Mundo 2020 em Dubai , a notícia capturou os corações da nação e , nesta edição , encontramos um país fortalecido em seu apoio à campanha da Expo Dubai 2020.
     Nesta edição Subramanian Rangan , professor de Estratégia e Gestão no INSEAD , e especialista em globalização , oferece suas próprias perspectivas sobre o significado global dos Dubai Expo 2020 subtemas da Mobilidade , Sustentabilidade e Opportunity.
     Enquanto isso, Patrick Awuah , fundador da Universidade Ashesi , explica como subtema da Oportunidade de Dubai Expo 2020 pode impactar positivamente as economias emergentes , e considera os benefícios específicos que podem trazer para os jovens em todo o mundo .
    A oportunidade única apresentada por uma Expo em Dubai também é explorado em Ficha desta edição . Aqui, vamos demonstrar a natureza inspiradora de licitação dos Emirados Árabes Unidos , com sua promessa de se concentrar em temas que refletem as prioridades globais, incluindo um programa de sete anos de inovação colaborativa que visa abordar essas questões.
     Hospedar uma Expo Mundial na região da MENASA pela primeira vez , na véspera das comemorações do 50 º aniversário dos Emirados Árabes Unidos , traz um significado profundo e cria um ambiente de oportunidade excepcional e entendimento cultural.
      A estabilidade do país e de segurança, o ambiente econômico aberto e dinâmico , a disponibilidade da sua infra-estrutura e da paixão para forjar um futuro brilhante que une as pessoas de 200 nacionalidades que vivem aqui vai entregar um ambiente exclusivo para a Expo Mundial, que vai galvanizar o mundo .



As oportunidades :
1 . Um tema inspirador refletindo as prioridades globais
2 . Expo ao vivo: um programa de 7 anos de inovação colaborativa , que começa agora
3. Exposição global sem precedentes para uma Expo ansiosamente aguardado
4 . Um site icônico e único
5. Conectividade global e doméstico insuperável com uma confiança historial de entrega
6. Um trampolim para o desenvolvimento econômico
7. Nacional e apoio da opinião pública internacional e da consciência para Expo 2020

Mais informações acesse:
http://expo2020dubai.ae/en/hello_2020/article/dubai_expo_2020_a_unique_opportunity

Por: Emanuella Minari

Secretario Julio Bueno anuncia linha de financiamento para design e inovação

     Anúncio foi feito durante lançamento da Rio + Design 2013, no Jockey Club. Mostra reúne trabalho de mais de 50 designers fluminenses.O Secretario de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, anunciou durante a abertura da Rio + Design, no Jockey Club, a linha de financiamento Design e Inovação da AgeRio. Serão R$ 80 milhões em recursos, com capacidade para atender aos empresários do setor em suas necessidades de capital de giro, máquinas e equipamentos, implantação, modernização e expansão de unidade industrial e eficiência energética.
     A agência de fomento disponibilizará ainda crédito voltado para inovação, através do Inovacred, da Finep. O recurso é destinado para o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos, ou para inovação em modelos de negócio e marketing. Os créditos, de até R$ 10 milhões, terão taxas a partir de 0,41% ao mês, e prazo máximo de carência e amortização de até 96 meses.
“Essa linha de financiamento pretende estimular a criação fluminense, fortalecendo a vocação do Estado para a inovação. São taxas competitivas e acessíveis para tornar a indústria criativa fluminense referência nacional”.
       Rio + Design – Em sua sexta edição, a mais importante mostra do design carioca reuniu autoridades e designers para a abertura da exposição na noite desta terça-feira, no Jockey Club. A subsecretária de Comércio e Serviços, Dulce Ângela Procópio, explicou a inspiração da mostra. 
“Temos ideia do design como algo inatingível, mas não é. O design permeia toda a sociedade, desde uma simples caneta até aos espaços públicos. Cada vez mais o design entra no cotidiano do brasileiro. Por isso, a Rio + Design 2013 se inspirou no cotidiano para apresentar o trabalho dos mais de 50 designers expostos”, destacou.
      O renomado designer Sergio Rodrigues, que participa da exposição com quatro peças, falou sobre a inspiração para as criações. “A todo momento temos um entusiasmo que, às vezes, não tem nada a ver com uma peça, e a gente parte para o desenho e a criação começa a tomar forma. Qualquer coisa é inspiração. E ter a Rio + Design é importantíssimo para que os designers possam apresentar seu trabalho para o público”, afirmou.
      A criação responsável também é importante para o design, na visão de Leonardo Eyer, da Bold Design.
“O design tem como objetivo facilitar a vida das pessoas. E por isso, entre outras preocupações, deve lembrar-se da geração de resíduos e da criação com responsabilidade, criando produtos sustentáveis”, ressaltou.





Por: Emanuella Minari
Fotos de Divulgação