terça-feira, 19 de maio de 2015

MASP começa a ser revitalizado pela Suvinil



As colunas serão pintadas com a cor Vermelho MASP, desenvolvida exclusivamente pela Suvinil para o museu na década de 1990
A limpeza das fachadas será feita com água de reuso, para evitar o desperdício

Nos anos 90, a Suvinil criou a cor Vermelho MASP para pintar as colunas que sustentam o maior museu da América Latina. Era a primeira vez que o prédio recebia esse tom, hoje um de seus traços mais característicos. Com mais de 760 litros de produtos e a contratação de fornecedores especializados, o MASP e a Suvinil retomam a antiga parceria com uma nova revitalização do museu, que tem início esta semana e deve ser concluída até o fim de julho.

Cerca de 35 profissionais de cinco fornecedores contratados pela Suvinil irão trabalhar para a revitalização do MASP. A primeira etapa é a instalação das 38 toneladas de andaime. Ao redor das colunas, serão colocadas telas de proteção com fotos históricas dos anos 1960, que pertencem ao arquivo da Biblioteca e Centro de Documentação do MASP. Ela retrata trabalhadores em andaimes, colocando os vidros que compõem a fachada, durante a construção do prédio.
.
A tinta da fachada será removida por jatos de água de reuso, para evitar o desperdício. O processo de pintura, que levará o exclusivo Vermelho MASP para as colunas, contará com a tecnologia do Esmalte Seca Rápido Brilhante. Específico para aplicação exterior e interior, o esmalte apresenta excelente aderência e seca em 30 minutos (ao toque).

“Como líder do segmento premium brasileiro, a Suvinil, marca de tintas imobiliárias da BASF, tem orgulho em manter essa parceria tão sólida com o maior museu da América Latina. Estamos muito felizes por deixar esse cartão postal da cidade de São Paulo ainda mais bonito”, afirma Andreas Gietl, vice-presidente de Tintas Imobiliárias da BASF para América do Sul.

A participação da Suvinil em projetos de revitalização de patrimônios históricos começou na década de 80, quando assumiu a pintura do estádio do Pacaembu, na capital paulista, a pedido do então prefeito Jânio Quadros. Desde então, a marca vem participando de vários projetos, entre eles a pintura do estádio do Maracanã, onde foram utilizados 100 mil litros de tinta na pintura de algumas de suas áreas, a restauração do Mercado Adolpho Lisboa, de Manaus, e de oito casarões antigos em seu entorno, da revitalização do Parque Nacional dos Guararapes, na Grande Recife, e do Pátio do Colégio, em São Paulo, e a restauração da Fundação Pão de Pobres, em Porto Alegre.


Fonte: Grupo Máquina - www.grupomaquina.com 

Nenhum comentário:

Postar um comentário